Tecnologias Sociais

Energia solar para Escola e Laboratório

Um módulo solar é o bastante para iluminar e fazer funcionar pequenos equipamentos e mudar a vida de muitas famílias que não têm acesso à energia elétrica. Em 2004, foi instalado na comunidade Boa Esperança, Reserva Amanã, um pequeno kit de energia solar para um laboratório de diagnóstico de malária. A situação anterior ao sistema era de dependência do funcionamento do gerador da comunidade para usar o microscópio, entretanto, nem sempre havia diesel disponível.

Nesses casos, o doente era levado ao município de Maraã ou Tefé, em busca de diagnóstico e medicação, percurso que dura em média 18 horas de barco. A malária ou paludismo é uma doença infecciosa aguda ou crônica causada por protozoários parasitas do gênero Plasmodium, transmitidos pela picada do mosquito do gênero Anopheles fêmea.

O sistema da comunidade que beneficiou cerca de 100 famílias de cinco comunidades, consiste em uma placa solar fotovoltaica de 75 W, uma bateria de 150 Ah e um inversor de 300W. Em 2013, foi instalado na comunidade Bom Jesus do Baré um sistema de iluminação solar fotovoltaica na escola, composto por um controlador, um módulo de 110watts, uma bateria de 150 Ah e quatro lâmpadas. Esse sistema atende ao funcionamento das aulas no período noturno para a alfabetização de jovens e adultos. O espaço ainda atende a outras necessidades dos moradores, como a realização de reuniões comunitárias.

© Bruno Kelly

Realização

Programa Qualidade de Vida e Grupo de Pesquisa Populações Ribeirinhas, modos de vida e políticas públicas na Amazônia do Instituto Mamirauá

Apoio

Comunidades da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã

Financiadores

Receba as novidade em seu email: