Programa de Turismo do Instituto Mamirauá é finalista de prêmio do Banco do Brasil

Publicado em: 19 de julho de 2019

Vencedores do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologias Sociais de 2019 devem ser anunciados em outubro

Gerar renda para os ribeirinhos, promover educação ambiental e propiciar uma experiência transformadora a quem não conhece a Amazônia são objetivos do Programa de Turismo de Base Comunitária (PTBC) do Instituto Mamirauá, que ontem (18) foi anunciado como um dos finalistas do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologias Sociais de 2019 na categoria ‘Geração de Renda’.

O PTBC é uma das 24 tecnologias sociais que concorrem à premiação final, cujos vencedores devem ser anunciados em outubro.

Os projetos finalistas foram selecionados pela efetividade, inovação, sistematização da tecnologia e a interação com a comunidade.

Também são finalistas da mesma categoria iniciativas da Cooperativa Central Justa Trama, de Porto Alegre (RS) e do Instituto de Pesquisas em Tecnologia e Inovação, de Santa Luzia do Itanhy (SE).

Sobre o Programa de Turismo de Base Comunitária

O programa do Instituto Mamirauá, organização social fomentada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), oferece assessoria técnica para iniciativas de turismo de base comunitária e também realiza pesquisas para apoiar a atividade turística. 

Desde 1998, o PTBC assessora comunitários na gestão da Pousada Uacari, uma das principais iniciativas do programa. Localizada na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, o empreendimento se consolidou como fonte de renda importante para comunidades ribeirinhas da região, gerando mais de R$3,5 milhões e beneficiando cerca de 750 pessoas.

Recentemente, o programa deu início à elaboração de um plano de visitação de uma comunidade indígena da área. O projeto deverá servir de ferramenta em um processo de resgate de tradições e cultura de populações kambeba. 

Além de investir na capacitação de comunitários para maior autonomia na gestão da atividade turística, o programa apoia iniciativas de cursos, treinamentos, intercâmbio e assessoria em turismo. Desde 2019, realiza o curso de multiplicadores de Turismo de Base Comunitária (TBC), financiado pela Fundação Gordon e Betty Moore.

O coordenador do Programa de Turismo de Base Comunitária, Pedro Nassar, afirma que a conquista serve como símbolo do esforço e da evolução de uma ação pioneira na região: o turismo. “É muito bom e gratificante porque é um trabalho duro de muita gente, que envolve principalmente as comunidades, que a gente auxilia. São muitas mãos trabalhando e esse tipo de reconhecimento mostra como isso está sendo bem feito”, afirma.

Recentemente, o programa deu início à elaboração de um plano de visitação a uma comunidade indígena da região, da etnia kambeba

O prêmio

Os vencedores ganharão R$ 700 mil em prêmios divididos entre as categorias nacionais, sendo R$ 50 mil para o primeiro colocado, R$ 30 mil para o segundo e R$ 20 mil para o terceiro de cada uma das categorias. As três iniciativas do exterior que compõem a categoria Internacional foram identificadas como tecnologias sociais que possam ser reaplicadas no Brasil e que constituam efetivas soluções para questões relativas a Cidades Sustentáveis e/ou Inovação Digital; Educação, Geração de Renda e Meio Ambiente.

Todos os finalistas ganharão um vídeo retratando a iniciativa.

O Prêmio Fundação BB de Tecnologias Sociais 2019 tem a parceria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Instituto C&A, Ativos S/A e BB Tecnologia e Serviços, além da cooperação da Unesco no Brasil e apoio da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Ministério da Cidadania, Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

Texto: Júlia de Freitas


Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: