Programa Mulheres na Ciência e Inovação na Amazônia terá novas ações em 2023

Publicado em: 18 de Janeiro de 2023

A iniciativa do MCTI com o IDSM tem o objetivo de fortalecer e desenvolver meninas e mulheres no campo científico

Dados apresentados pela UNESCO, em 2020, apontam que apenas 30% das cientistas no mundo são mulheres. No Brasil, elas representam 40,3%. A fim de estimular meninas e mulheres a se desenvolverem no âmbito científico, foi criada, em 2020, a iniciativa “Programa Mulheres na Ciência e Inovação na Amazônia”,  do Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá (IDSM), em parceria com a Secretaria de Articulação e Promoção da Ciência (SEAPC-MCTI). Financiado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT), o Programa começou a ser implementado em setembro de 2022 pelo IDSM e várias ações estão planejadas para os próximos meses.

A coordenadora do programa e pesquisadora do IDSM Patrícia Rosa, explica que em 2022, o programa já concedeu sete bolsas de pesquisa, quatro bolsas de apoio técnico à pesquisa e dez bolsas para Jovens Cientistas, similares às bolsas de iniciação científica, voltadas para meninas e mulheres do ensino médio e superior. Os dois dos projetos fomentados pelo programa ocorrem em parceria com pesquisadoras da  Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA) e Universidade Federal do Pará (UFPA).

A pesquisadora também aponta que um dos resultados esperados pelo programa em 2023 é conseguir implementar ao menos cinco bolsas de pesquisa concedidas para mulheres nas categorias de doutor, mestre e graduação, com ensino médio completo. O propósito é ampliar ao máximo a participação feminina na produção científica e tecnológica na região amazônica e também no país, dando paridade e combatendo a desigualdade entre homens e mulheres no ambiente de pesquisa.

As ações implementadas devem fortalecer os projetos de pesquisa do IDSM por meio da concessão de bolsas e o fomento às pesquisas realizadas por mulheres na instituição. O trabalho direcionará as alunas e educadores do ensino médio e superior para a promoção, popularização e divulgação da ciência, tecnologia e inovação para assim estimular participação de novos talentos no mundo acadêmico.

“Fortalecer e encorajar mais alianças e redes colaborativas com mulheres cientistas, seja agregando outras mulheres aos circuitos de trabalho por meio dos projetos contemplados, seja por meio do incentivo às orientações de iniciação científicas específicas para as jovens cientistas locais, estimulando a participação futura nas áreas das ciências exatas, humanas e naturais, incentivando novos talentos” aponta, Patrícia.

Novas oportunidades de bolsas de pesquisa e de apoio técnico à pesquisa para meninas e mulheres do interior do Amazonas serão abertas a partir da segunda quinzena de janeiro, através do portal do Instituto Mamirauá (https://mamiraua.org.br/vagas/todos/).

Texto: Stéffane Azevedo


Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: