Manejo de pirarucu é destaque em mesa redonda na Rio + 20

Publicado em: 21 de junho de 2012

O Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá participou ontem, dia 20, na Tenda da Amazônia, Parque dos Atletas, na Rio + 20, da mesa Redonda abordando o tema “Produção Sustentável na Amazônia”. O evento foi promovido pelo Governo do Estado do Amazonas, por meio da Secretária de Produção Rural. A bióloga Ellen Amaral, consultora do Programa de Manejo de Pesca do Instituto Mamirauá, apresentou os “Dez anos de Manejo de Pirarucu na Amazônia”. 

 
Ellen iniciou a apresentação contextualizando aos participantes, todos conferencistas da Rio + 20, a pesca na Amazônia. “No período pré-colonial e durante os três primeiros séculos de colonização o pirarucu foi muito explorado, e a população sofreu uma drástica redução”. Para recuperar os estoques de pirarucu, surgiu o manejo de pirarucu em 1999, na Reserva Mamirauá consolidando-se como umas das experiências mais bem sucedidas de gestão compartilhada dos recursos naturais. “Outro resultado para o manejo participativo é a inclusão de pescadores urbanos nos acordos de pesca”, afirmou a pesquisadora.
 
O manejo participativo de pirarucu é um conjunto de regras discutidas entre os atores envolvidos, estabelecidas e implementadas pelos usuários para ordenar a pesca em um determinado local ou território. O objetivo é conservar a espécie e a melhoria da qualidade de vida da população envolvida. Em 2011, 5.812 peixes foram manejados, totalizando 304 toneladas, e gerando R$ 1.245,16 de renda por pescador.

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: