Educação Ambiental é um dos caminhos para conservar a Amazônia

Publicado em: 28 de abril de 2017

No Dia da Educação (28 de abril), saiba um pouco mais sobre educação ambiental e como ela é usada pelo Instituto Mamirauá em um projeto para conservação e sustentabilidade em duas unidades de conservação no estado do Amazonas

Se ao ouvir as palavras “educação ambiental”, o que vem à sua mente é um espaço de sala de aula onde a lição é o cuidado ao meio ambiente, você está certo. Em parte. Porque a educação ambiental é muito mais que isso. Trocar ideias e construir saberes com o coletivo sobre sociedade, economia, uso da terra, conflitos, cultura... todos esses temas fazem parte da educação ambiental. Tudo junto e misturado.

Educação ambiental não se faz apenas na escola. Tem educação ambiental no centro comunitário, na rua, na horta, em grandes centros urbanos e também em pequenas comunidades em meio à floresta. Desde 2013, o projeto Mamirauá: Conservação e Uso Sustentável da Biodiversidade em Unidades de Conservação, o BioREC, realiza atividades de educação ambiental em duas unidades de conservação na Amazônia.

Saberes que vêm da floresta

As ações são feitas em parceria com moradores das Reservas de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Mamirauá e Amanã, no estado do Amazonas. Nelas estão valores da biodiversidade regional, em fauna, flora e outros recursos naturais, uma grande responsabilidade para os órgãos de proteção e para as populações humanas que vivem lá. Com o BioREC, a um só tempo, o Instituto Mamirauá, unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, incentiva saberes tradicionais desses povos e compartilha informações com eles para conservar a natureza.

A equipe de Educação Ambiental tem um trabalho contínuo com produtores rurais, artesãos, extrativistas, adultos, jovens e crianças, construindo projetos para valorizar a diversidade florestal da Amazônia. É o caso dos “Cantinhos da Ciência”, viveiros educativos que envolvem as comunidades no aprendizado e cuidado com espécies vegetais madeireiras, frutíferas e medicinais.

Falar de Educação Ambiental é falar de cidadania

Divulgar ideias sobre gestão das reservas, da legislação ambiental e do uso dos recursos da mata e das águas respeitando o tempo e a dinâmica dos ecossistemas são outras frentes da Educação Ambiental. A programação de atividades do BioREC inclui oficinas, cursos e palestras sobre práticas de manejo florestal, manejo de pesca e planos de gestão comunitária.

“A Educação Ambiental se dá pelo entendimento de mundo, do território em que se vive. Falar de Educação Ambiental é falar de cidadania”, diz Eliane Neves, educadora ambiental do Instituto Mamirauá. Acesse e baixe de graça os materiais didáticos e conteúdos especiais sobre Amazônia, produtos de educação ambiental do BioREC.

Para reduzir e transformar práticas que geram conversão florestal desnecessária, degradação ambiental e emissões de gases de efeito estufa, o Instituto Mamirauá desenvolve, desde 2013, o BioREC. O projeto é financiado pelo Fundo Amazônia, gerido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), e tem duração de cinco anos. Saiba mais sobre a Educação Ambiental e outras linhas de atuação do projeto na Amazônia.

Texto: João Cunha

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu email: