Instituto Mamirauá - Conservação na Amazônia - Instituto Mamirauá desenvolve sistema para consulta de dados de monitoramento da água - https://www.mamiraua.org.br/pt-br/comunicacao/noticias/2014/6/6/instituto-mamiraua-desenvolve-sistema-para-consulta-de-dados-de-monitoramento-da-agua/

Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá

Notícias

Rafael Forte

Instituto Mamirauá desenvolve sistema para consulta de dados de monitoramento da água

06/06/2014

EduCoelho
Desde 2004, o Instituto Mamirauá monitora as características físico-químicas das águas dos rios Solimões e Tefé, canos d’água e lagos da Reserva Mamirauá. Com esses dados, os pesquisadores conseguiram criar um sistema de consulta que tem o objetivo de facilitar a obtenção de informações sobre a qualidade da água nessa região. Desse jeito, os pesquisadores da área terão acesso rápido à informações que darão base para seus trabalhos.
 
O sistema busca levar informações de maneira simples e precisa. “Criamos um programa intuitivo. Lá, os internautas podem verificar a qualidade [características] da água em todas as épocas do ano, desde 2004. Podem fazer comparações e consultar algum parâmetro físico-químico específico”, explicou o pesquisador João Paulo Borges Pedro.
 
O sistema, que trabalha com gráficos, tem várias opções. Começando com as características físico-químicas, o internauta pode verificar o pH, temperatura, oxigênio dissolvido, saturação de oxigênio, transparência e condutividade. Após isso, ele escolherá o ano para análise. A categoria do corpo d’água traz quatro opções: Canos de Água Branca, Lago de Água Branca, Rio de Água Branca, e Rio de Água Preta, para definir o ambiente aquático que a pessoa deseja analisar. Por fim, vem a escolha do período de pulso: enchente, cheia, vazante ou seca.
 
Para o pesquisador, o sistema trará grande ajuda ao público que se interessa pelo assunto. “Acreditamos que muitas pessoas irão se beneficiar com o sistema. Quem estuda a ecologia ou limnologia, por exemplo, que sofre influência destas águas, nessa região que monitoramos, terá dados básicos disponíveis para suas pesquisas”, informou.
 
O sistema pode ser consultado pelo link www.mamiraua.org.br/monitoramento-aguas
 
Texto: Paulo Henrique Araujo
 

Financiadores