Workshop realizado pelo CEST-UEA tem participação do Instituto Mamirauá

Publicado em: 14 de maio de 2013

Estreitar e fortalecer parcerias, entre as instituições que desenvolvem pesquisa para a conservação da biodiversidade. Este foi um dos objetivos do workshop "Otimizando parcerias em Tefé: CRIA, UEA, IDSM e ICMBio", de 08 a 10 de maio de 2013, promovido pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA), campus Tefé.

O Diretor Técnico-Científico do Instituto Mamirauá, João Valsecchi, apresentou as atividades desenvolvidas por meio de programas de pesquisa, manejo e desenvolvimento social na região do Médio Solimões, principalmente no ambiente de várzea. Falou a respeito da Diretoria Técnico-Científica que atua com projetos de pesquisa, acervos, promoção de eventos técnicos- científicos e projetos de inovação.

O Instituto Mamirauá também possui a Biblioteca Henry Walter Bater com um acervo técnico e biológico bem vasto. "Os professores da UEA podem consultar os livros da biblioteca para suas pesquisas e devem estimular seus alunos para que a consultem também, principalmente na área biológica", enfatizou João.

Segundo o diretor, o Instituto Mamirauá apoia não só projetos de pesquisadores do Instituto, mas também de pesquisadores de outras instituições. Esses interessados devem enviar seu projeto, especificando que tipo de apoio precisa para desenvolver sua pesquisa e isso será submetido à avaliação de um comitê técnico científico, de um comitê de ética e da diretoria do IDSM. A proposta será avaliada quanto à viabilidade e interesse do ponto de vista científico, desde que o projeto em questão não se sobreponha com propostas já em andamento.

Em seguida, o biólogo João Lanna, do Grupo de Pesquisa em Ecologia Florestal, apresentou o projeto: "Dinâmica Florestal da Várzea Amazônica e suas aplicações para o Manejo Madeireiro". O objetivo da pesquisa é descobrir como a floresta de várzea amazônica responderá às atividades de manejo madeireiro, e se o método vigente é o mais apropriado.

Logo após, Emiliano Esterci Ramalho, coordenador do Projeto Iauaretê, falou sobre a pesquisa que estuda a ecologia da onça-pintada nas florestas inundáveis de várzea da Amazônia, buscando entender como os bichos se comportam e usam o habitat da região quando o nível da água sobe e alaga esse tipo de floresta.

Segundo Guilherme Freire, professor de Biologia da UEA e coordenador do evento, o Instituto Mamirauá é um parceiro potencial, pois desenvolve diversas linhas de pesquisa que são de interesse da universidade. "A parceria entre o Instituto Mamirauá e UEA serve não só para estreitar os laços entre as duas Instituições no campo da pesquisa, mas também para contribuir com a formação educacional dos professores e alunos da universidade, pois o Instituto proporciona a prática durante a pesquisa, contribuindo para que o aluno possa se tornar um pesquisador", afirmou o professor Guilherme.

Além do Instituto Mamirauá, o evento contou com a participação do Centro de Referência de Informação Ambiental (CRIA), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Centro Estadual de Unidades de Conservação (CEUC-AM) e Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMMA). Texto: Francisco Rocha.

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: