SNCT 2019 mostra importância do consumo consciente para conservação da Amazônia

Publicado em: 25 de outubro de 2019

Com atividades lúdicas, Semana Nacional da Ciência e Tecnologia no Instituto Mamirauá termina hoje (25)

Fazer compras, na feira ou no supermercado, envolve mais do que preferências alimentares: é também fazer escolhas com impacto direto na vida das populações locais e das espécies de fauna e flora da região.  Pautada pelo tema “Bioeconomia: Diversidade e Riqueza para o Desenvolvimento Sustentável”, a programação da Semana Nacional da Ciência e Tecnologia (SNCT) do Instituto Mamirauá aborda a relação direta entre conservação da biodiversidade da Amazônia e o consumo consciente.

O evento começou na quarta-feira, 23, e acaba hoje, 25, na sede da instituição, localizada no município de Tefé, no estado do Amazonas. 

A SNCT é uma oportunidade de conhecer o trabalho do Instituto Mamirauá, organização social fomentada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) que realiza pesquisa científica em fauna, flora e manejo de recursos naturais na região do Médio Solimões, na Amazônia Central.

Na edição deste ano, os visitantes são convidados a refletir sobre escolhas alimentares e consumo sustentável. 

Em uma simulação de feira, as crianças e os jovens são desafiados a acertarem a origem de alimentos como alface, uva, açaí e cupuaçu. Ao fim do desafio, um especialista do Instituto Mamirauá explica sobre a importância da agricultura familiar local.

Biodiversidade amazônica

Outras atividades do evento buscam mostrar de maneira descontraída a diversidade de espécies do bioma amazônico e a importância de conservá-la.  

Apresentações teatrais sobre mamíferos aquáticos, distribuição de máscaras e materiais de educação ambiental, além de jogos sobre espécies de peixes amazônicos e exposições interativas são algumas delas.

“Os alunos ficam bem interessados e a gente vê que as crianças têm gostado bastante da visita por conta das atividades lúdicas e divertidas”, afirma o coordenador de pesquisa do Instituto Mamirauá, Alexandre Hercos.

Espécimes do Acervo Biológico do Instituto Mamirauá foram expostos em área onde pesquisadores explicaram fatos e curiosidades de espécies como a onça-pintada, jacarés, macacos e insetos do bioma amazônico. 

Até agora, o evento já recebeu turmas do ensino fundamental e médio de cerca de 30 escolas, somando visitas de 2 mil pessoas, entre estudantes, professores e outros moradores.

O evento, organizado nacionalmente pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), conta com o apoio local do Instituto Federal do Estado do Amazonas (IFAM) e da Prefeitura Municipal de Tefé.

Texto: Júlia de Freitas


Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: