Seminário final apresenta pesquisas de iniciação científica

Publicado em: 31 de julho de 2014

Durante o dia 30 de julho bolsistas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica do Instituto Mamirauá apresentaram os resultados de suas pesquisas. Estes bolsistas são estudantes de nível superior da cidade de Tefé (AM) e estão desenvolvendo pesquisas em diversas áreas.
 
Nelissa Peralta, coordenadora do programa, lembra o quão importante é este momento de apresentações finais: “estamos fechando um ciclo”, diz ela. E prossegue lembrando que “é possível perceber o crescimento de cada um dos trabalhos e o progresso dos estudantes enquanto pesquisadores”. 
 
17 trabalhos foram apresentados no decorrer do dia. Na programação seguiram-se trabalhos que levantaram dados sobre a economia domiciliar na comunidade Caiambé, em Tefé, monitoramento de consumo de madeira no mesmo município, técnicas tradicionais de pescadores urbanos e levantamentos populacionais de determinadas espécies. Outros trabalhos trataram sobre a qualidade da água em tanques e currais que recebem peixes-boi no centro de reabilitação da espécie, na Reserva Amanã, e da estrutura etária da subpopulação caçada de paca, na mesma reserva. 
 
Após cada apresentação é aberto um espaço para discussões entre os presentes. Para os bolsistas que permanecem no programa este é um importante momento para pensar em críticas construtivas para a pesquisa. Para os que fecham o ciclo e terminam sua participação no programa, é um momento para mostrar o resultado de um longo trabalho.  Além disso, pesquisadores do Instituto Mamirauá avaliam cada uma das apresentações. 
 
No final das atividades os melhores trabalhos foram premiados. Márcio Nery foi premiado com o primeiro lugar e Eliomara Ramos com o segundo. Eliomara apresentou o trabalho As lideranças católicas formadas pela Prelazia de Tefé e seu papel na atualidade, onde discute a formação educacional proporcionada pela Prelazia de Tefé, que envolvia questões tanto religiosas quanto políticas e formou diversas lideranças expressivas.  Já Márcio tratou do processo de constituição do Conselho Gestor da Reserva Mamirauá.  No trabalho, Márcio destaca que das 100 unidades de conservação do estado do Amazonas, somente 40 possuem esta instância deliberativa. “Depois que recebi a premiação entregue pela Daniele, foi que caiu a ficha que eu tinha ganhando. E só tenho a agradecer ao Instituto Mamirauá pela oportunidade e ao CNPq pela bolsa, e todo o conhecimento aqui adquirido procuro aplicar no meu dia a dia. Isso me motiva ainda mais a estudar e alcançar novas metas”, contou Márcio.
 
Bolsistas que participaram do Seminário final e pesquisadores do Instituto Mamirauá. Foto: JP Borges Pedro
 
Por Vanessa Eyng
 

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: