Semana Florestal da UFAM vai destacar trabalho do Instituto Mamirauá em manejo florestal comunitário

Publicado em: 14 de novembro de 2017

Evento será nos dias 21 a 24 de novembro, no campus da universidade, em Manaus. Instituto Mamirauá vai apresentar conferência, minicurso e exposição sobre o manejo e ecologia florestal

Para comemorar os 30 anos do curso de Engenharia Florestal, a Universidade Federal do Amazonas (UFAM) preparou uma programação especial. A Semana Florestal acontece nos próximos dias 21 a 24 de novembro e vai trazer à capital amazonense conferências científicas com pesquisadores do Brasil e do exterior, oficinas e eventos culturais. O Instituto Mamirauá é um dos destaques da programação, com o trabalho de mais de uma década na assessoria ao manejo florestal comunitário na Amazônia.

Conferência

O coordenador do Programa de Manejo Florestal Comunitário (PMFC) do Instituto Mamirauá, Claudio Anholetto, é um dos palestrantes convidados da semana. No dia 24, sexta-feira, ele fará a conferência “O Manejo Florestal Comunitário na RDS Mamirauá”.

“Discutirei a relação entre o histórico do estabelecimento da Unidade de Conservação e a atividade de manejo florestal comunitário”, adianta o coordenador.

Criada em 1996, a Reserva Mamirauá é um marco para as políticas nacionais de proteção ambiental. A unidade de conservação foi a primeira em sua categoria; depois viriam muitas outras reservas a conjugar os ideais de gestão dos recursos naturais e de desenvolvimento social e sustentável. O manejo florestal, feito de maneira coletiva pelos próprios moradores da região, foi uma das primeiras atividades a serem desenvolvidas nesse sentido.

De acordo com Claudio Anholetto, a conferência também vai apresentar características ambientais que diferenciam a RDS Mamirauá e o manejo florestal realizado lá. A várzea, ecossistema que forma a maioria do território da reserva, é uma delas.

“Porque é feito em áreas de várzea, o manejo florestal na Reserva Mamirauá é classificado de maneira diferente. Os manejadores não usam equipamentos pesados, não é preciso abrir estradas para o escoamento da produção (o transporte da madeira se dá pelo rio), nem pátios para armazenamento, causando menos impacto sobre a floresta”, explica.

As ações de assessoria e incentivo do Instituto Mamirauá ao manejo floresta comunitário fazem parte do projeto “Mamirauá: Conservação e Uso Sustentável da Biodiversidade em Unidades de Conservação” (BioREC) e conta com recursos do Fundo Amazônia, pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). 

Minicurso sobre anéis de crescimento

Além de coordenar a assessoria aos grupos de manejo florestal, Claudio Anholetto também pesquisa a influência do clima sobre a dinâmica de crescimento de espécies de árvores da Reserva Mamirauá. Parte dessa experiência será compartilhada no minicurso “Dendrocronologia”, também oferecida durante a Semana Florestal da UFAM. O minicurso acontecerá de 21 a 24 de novembro, de 14h às 18h.

Dendrocronologia é o nome dado ao estudo da idade das árvores, a datação de cada espécime, com base na análise dos anéis de crescimento, filamentos retirados dos troncos. “O curso terá uma divisão teórica e prática, que vai acontecer na região de mata da UFAM. Os participantes vão conhecer os princípios da dendrocronologia, aplicações, como é feita a coleta de amostras de lenho e os softwares que são usados para a análise”, conta o pesquisador do Instituto Mamirauá - unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

Os minicursos da Semana Florestal da UFAM, incluindo o de “Dendrocronologia”, tem limite de 20 vagas por turma. Para consultar a disponibilidade e os demais temas oferecidos, acesse aqui.

ExpoFloresta

O Instituto Mamirauá também estará presente na ExpoFloresta, espaço expositivo da Semana Florestal. De acordo com os organizadores, a ExpoFloresta será o maior evento aberto nos segmentos de ensino, pesquisa e empreendedorismo no setor florestal do Amazonas. Serão mais de 30 expositores, entre instituições de Ensino Superior, institutos de pesquisa, ONGs e empresas.

Na exposição, será apresentado o trabalho que o Instituto Mamirauá realiza há 18 anos, com foco nas linhas de manejo e ecologia florestal. Livros, como o recém-lançado “Protagonistas: relatos de conservação no Oeste da Amazônia” cartilhas, revistas e fotografias serão expostas.

A carta das várzeas

Durante a programação a Semana Florestal da UFAM, serão discutidas as demandas e diretrizes para o uso sustentável das áreas de várzea do Amazonas. O resultado desta discução integrará o documento previamente intitulado de “A carta das várzeas", publicação aberta que reunirá os princípios, demandas e diretrizes para uso correto das áreas de várzea no estado. O documento também servirá de instrumento para o desenvolvimento de políticas públicas que atendam essas áreas. Vão participar da redação do documento comunidades de várzea, técnicos e instituições, como o Instituto Mamirauá, que trabalham e pesquisam o ambiente.

 

Semana Florestal – UFAM 2017

Quando: 21 a 24 de novembro de 2017

Onde: Faculdade de Ciências Agrárias, Campus da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) - Av. General Rodrigo Octavio Jordão Ramos, 1200 - Coroado I, Manaus

Inscrições: pelo site http://www.semanaflorestal.com/

Texto: João Cunha

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: