Pesquisas biológicas encerram Simpósio sobre Conservação

Publicado em:  3 de julho de 2014

O Instituto Mamirauá encerrou hoje o 11º Simpósio sobre Conservação e Manejo Participativo na Amazônia. Ao longo do dia, foram apresentados resultados de pesquisas voltadas para a conservação de várias espécies como peixes, primatas e quelônios. No início da manhã, os participantes assistiram a palestra “Pesquisas sobre a biologia reprodutiva e a ecologia comportamental dos ciclídeos do Médio Solimões (2002 - 2014): reflexões e direcionamentos”, proferida pelo Dr. Helder Lima de Queiroz, pesquisador do Instituto Mamirauá.

Para responder à pergunta como os ciclídeos se adaptam as diferentes condições dos corpos d’ água amazônicos o Instituto Mamirauá desenvolve, desde 2002, pesquisas sobre a biologia reprodutiva e a ecologia comportamental dos ciclídeos do Médio Solimões. “Até o momento, foi possível investigar a reprodução de 15 espécies desta família, identificamos parâmetros básicos como fecundidade das fêmeas, maturação sexual, precocidade da maturação, tipo de desova, sazonalidade reprodutiva, dentre outros”, explanou Helder.

Alguns resultados já permitem identificar que há uma fecundidade baixa entre algumas espécies, mas que varia enormemente entre elas. Também foi possível detectar espécies de fecundidade proporcionalmente maior e menor. Ao estudar os tucunarés, por exemplo, observou-se um dimorfismo temporal nessa espécie, ou seja, o surgimento de uma protuberância na cabeça do animal, o que indica que ele está no período reprodutivo. Segundo Helder, os resultados demonstram a necessidade dos estudos para entender qual é a capacidade que essas populações têm de reprodução em função de sua importância para as populações humanas.

No início da tarde, a pesquisadora Thaís Morcatty apresentou uma comparação entre as metodologias de captura e seleção por jabutis. Ao longo do trabalho, foram capturados sete jabutis por busca ativa e sete em armadilhas, sendo que o esforço de pesquisa para a captura em armadilha menor que com a busca ativa. A captura com armadilhas também é financeiramente menor. “Ainda que não apresente distinta capacidade de detecção, a armadilha se mostra mais vantajosa, uma vez que propicia mais capturas com menor esforço do pesquisador, permite coletar em mais localidades por demandar menor tempo para amostragem e apresenta menor investimento financeiro”, explanou Thaís.

Durante a tarde, foram anunciados os vencedores do 5º Concurso de Fotografias do Instituto Mamirauá. Para conhecer as imagens vencedoras, acesse aqui o Facebook do Instituto Mamirauá. Ao final do evento, os melhores trabalhos apresentados foram reconhecidos (veja lista abaixo). Os participantes também assistiram ao vídeo produzido por Comunicadores Populares da Reserva Amanã sobre a história da Comunidade Boa Esperança, que estará disponível na internet em breve.

Trabalhos premiados

Apresentação oral
1 – PADRÕES DE PRODUÇÃO E CONSUMO NA ECONOMIA DOMÉSTICA NAS RESERVAS MAMIRAUÁ E AMANÃ
Nelissa Peralta, Deborah Lima

2 – O IMPACTO DE PROGRAMAS DE REDISTRIBUIÇÃO DE RENDA SOBRE A ECONOMIA DOMÉSTICA DE UMA POPULAÇÃO RURAL DA AMAZÔNIA
Deborah Lima, Nelissa Peralta 

3 –  ADMIRÁVEIS URNAS NOVAS: A OCORRÊNCIA DE URNAS FUNERÁRIAS ANTROPOMORFAS NO RIO TEFÉ
Jaqueline Belletti

Apresentação em pôster

1 - ESTRUTURA POPULACIONAL E ASPECTOS REPRODUTIVOS DE Apistogramma pertensis (PERCIFORMES: CICHLIDAE) DO LAGO TEFÉ/AM
Jomara Cavalcante de Oliveira, Helder Lima de Queiroz

2 – CAPTURA DE PACAS (Cuniculus paca) NA AMAZÔNIA: UMA COMPARAÇÃO ENTRE MÉTODOS CIENTÍFICOS E UMA TÉCNICA TRADICIONAL DE CAÇA
Hani Rocha El Bizri, Luiz Washington da Silva Araújo, Wigson da Silva Araújo, Louise Maranhão de Melo, João Valsecchi

3 - SUSTENTABILIDADE DO CONSUMO DE PACA (Cuniculus paca) NA RDS AMANÃ: UMA AVALIAÇÃO SEXO-ETÁRIA
Jéssica Jaine Silva de Lima, Hani Rocha El Bizri, João Valsecchi

 

Por Eunice Venturi

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: