Pesquisa promove plantio de espécies florestais em capoeiras

Publicado em: 17 de abril de 2012

Pesquisadores do Grupo de Pesquisa em Ecologia Florestal do Instituto Mamirauá concluíram o plantio de mais de mil mudas de espécies florestais de interesse comercial em áreas de capoeiras, na Reserva Mamirauá. Segundo Adriano Alvarenga, biólogo atualmente responsável pelo estudo, o trabalho surgiu a partir de uma demanda do Programa de Manejo Florestal Comunitário do Instituto Mamirauá e da necessidade de recomposição das áreas exploradas.

 
As atividades contaram com a participação ativa dos manejadores de madeira que fizeram, junto com o grupo de pesquisadores, a demarcação e a medição das parcelas, o anelamento, a poda de árvores, a abertura de trilhas e a limpeza dos locais onde as mudas foram plantadas.
 
Mudas de louroinamuí, mulateiro e capitari foram produzidas na casa de vegetação do Instituto Mamirauá e transportadas até as comunidades. Outras espécies como piranheira, muiratinga e cedro foram retiradas de bancos de plântulas – plantas jovens ou “filhotes” – que são encontrados em ambiente natural, próximos as áreas utilizadas para os plantios. “O plantio foi diversificado para que a área se torne o mais próximo possível do ambiente natural”, acrescentou Adriano. 
 
De acordo com o pesquisador, o acompanhamento das plantas tem sido mensal, desde o primeiro plantio: “nós vamos às áreas e realizamos a limpeza do entorno das mudas e medimos a altura. Este acompanhamento é essencial para o sucesso dos plantios, pois assim podemos controlar a supressão das mudas por cipós e outras espécies pioneiras”.
 
Atualmente, novas mudas estão em sendo produzidas para o plantio de outras capoeiras. “Na próxima seca (entre os meses de agosto e novembro), voltaremos às áreas que já foram plantadas para contar as plantas que sobreviveram e medi-las novamente. Com os resultados obtidos teremos uma ideia da taxa de sobrevivência e do recrutamento das plantas após o período da cheia, o que  vai nos auxiliar a tomar medidas para melhorar os trabalhos de recomposição florestal na Reserva Mamirauá”, afirmou.
 
A atividade é parte integrante dos projetos “Pesquisas Para Apoio à Produção Comunitária Sustentada nas Florestas Alagadas de Mamirauá e Amanã” financiado pelo CNPq e finalizado em 2010, e “Recrutamento de plântulas de mulateiro (Calycophyllum spruceanum) em ambientes de várzea da Amazônia Central” que teve início em agosto de 2011.
 
Texto: Paula Costa.

 

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: