Novo Tapiira no Centro Vocacional Tecnológico

Publicado em: 26 de fevereiro de 2018

Nascido e criado na comunidade Novo Tapiira, Adriano Ribeiro Ferreira busca no curso conhecimento para implementar o turismo de base comunitária na região

A procura pelo conhecimento não é de hoje. Sócio e primeiro-secretário do Acordo de Pesca do Jurupari, segundo-secretário da Associação do Tapiira e agente ambiental voluntário, Adriano Ribeiro Ferreira, 29 anos, natural da comunidade Novo Tapiira, é um dos estudantes do Centro Vocacional Tecnológico (CVT) do Instituto Mamirauá. Residindo em Alvarães, o estudante se desloca todos os dias até a sede do Instituto Mamirauá, em Tefé, com o propósito de colher informações para ajudá-lo a melhorar a qualidade de vida dos moradores de três comunidades no município de Alvarães, no Amazonas: Jurupari, São Raimundo Iapara e Novo Tapiira.

O Centro Vocacional Tecnológico é uma unidade de ensino e de profissionalização, voltado para difusão do acesso ao conhecimento científico e tecnológico. A iniciativa busca capacitar lideranças e contribuir com o empoderamento de jovens no Amazonas. Adriano destaca o apoio do pai, do segundo-secretário do Acordo de Pesca do Jurupari, do coordenador do Acordo, Adônis Pereira, e da esposa como motivadores de todo o esforço durante o primeiro ano do curso. “Eles me ligam querendo saber como estou, o que estou estudando e me apoiam o tempo todo”.

Segundo Adriano, o ingresso no CVT mudou sua concepção a respeito das ações de preservação nas comunidades. “Hoje, eu entendo que, para o Instituto Mamirauá chegar e nos apoiar em um plano de atividades dentro da nossa comunidade, a demanda precisa partir da gente”, afirmou o estudante. E não foi apenas a sua visão que mudou: “Nós conversamos muito sobre o nosso papel e a função do Instituto; hoje, o vemos como um forte parceiro para enfrentar as dificuldades que encontramos”.

No segundo ano do curso, o grupo do CTV colocará em prática a experiência das aulas, oficinas e atividades de campo para levar adiante os projetos desenvolvidos junto às comunidades. Para a região do Novo Tapiira, Adriano pretende desenvolver o turismo de base comunitária a fim de gerar emprego e renda na região. “Se tem uma iniciativa de turismo na região, vamos gerar uma demanda por alimento e por mão de obra, e isso vai gerar renda para gente”.

O Centro Vocacional Tecnológico do Instituto Mamirauá, unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), tem financiamento da Gordon and Betty Moore Foundation.

Texto: Laís Maia

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu email: