Novo sistema de abastecimento de água é inaugurado na Reserva Mamirauá

Publicado em: 20 de Janeiro de 2014

“Foi uma coisa muito boa, que agora beneficia todas as 42 famílias da nossa comunidade”, disse Clemêncio Fragoso, presidente da Comunidade Porto Braga ontem, durante a inauguração do sistema de abastecimento de água, na sexta (dia 17). O experimento foi instalado pelo Instituto Mamirauá, em parceria com a Prefeitura de Uarini. Depois da parceria entre as instituições e a comunidade, a etapa atual consiste na participação dos moradores na gestão da tecnologia. 
 
A equipe do Programa Qualidade de Vida do Instituto Mamirauá, que instala o sistema, levou uma dinâmica para exemplificar a necessidade de participação dos moradores na manutenção do sistema. Durante a inauguração, cada participante recebeu um ovo, representando o sistema. "É preciso ter cuidado com o ovo para que ele não quebre. E é assim com o sistema, cujo cuidado, a partir de agora, deve ser feito com a participação dos moradores. A equipe do Instituto Mamirauá irá promover cursos de capacitação na comunidade para que saibam como proceder na limpeza do sistema, por exemplo.", disse Dávila Corrêa, coordenadora do Programa Qualidade de Vida. 
 
O Sistema de Abastecimento de Água consiste no bombeamento do recurso natural com uso de energia solar fotovoltaica. Painéis fotovoltaicos são colocados sobre o rio em balsas flutuantes, bombeando a água para um reservatório elevado. O reservatório é conectado a um filtro de areia, para pré-tratamento da água e remoção de sólidos grosseiros. Após a filtração, a água é distribuída por gravidade para a comunidade, com um ponto de fornecimento em cada domicílio. 
 
“Felizmente o experimento do Instituto Mamirauá deu certo e pôde ser implantado em uma comunidade do município de Uarini, beneficiando várias famílias. Agora, em parceria com o Instituto, nós pretendemos elaborar projetos e conseguir recursos com os governos Federal ou Estadual. Assim, o sistema chegará a mais comunidades”, disse o Prefeito de Uarini, Carlos Gonçalves.
 
As melhorias sociais incluem a redução de doenças transmitidas pela água, redução do stress na família com a coleta de água e acidentes de mortes de crianças que vão tomar banho na beira do rio. Entre 2010 e 2013, mais de 400 mil reais foram investidos com a instalação de sistemas. Cada sistema custou, em média, cerca de 30 mil reais, e quinze comunidades já receberam o experimento. 
 
Segundo a dona de casa Eliene da Silva de Oliveira a instalação do sistema trouxe muitas mudanças: “Mudou muito, que a agora eu não vou mais para a beira. Faço tudo em terra, que antigamente ninguém fazia assim. Tinha que ir para a beira. Melhorou muito, melhorou tudo”. 
 
Texto: Eunice Venturi

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: