No Instituto Mamirauá, moradores de Tefé analisam a qualidade da água da cidade

Publicado em: 27 de março de 2017

A atividade fez parte das comemorações do Instituto ao Dia Mundial da Água

“É uma preocupação coletiva, não saber somente se a minha água é de qualidade, mas se a do vizinho também é”, disse Lucas Ramus, em resposta ao porquê de sua participação na campanha “Como está água em Tefé? ”. Organizada pelo Instituto Mamirauá, em comemoração ao Dia Mundial da Água (22 de março), a campanha convidou os moradores da cidade amazonense de Tefé, região do Médio Solimões, para saber qual a qualidade da água que eles consomem em casa.

Lucas e outros cidadãos tefeenses fizeram parte de uma programação especial, entre os dias 22 e 24 de março, cujo foco foi a água, sua importância, benefícios e características para um bom uso. O ponto de partida foi a sede do Instituto Mamirauá, em Tefé, onde eles foram recebidos por pesquisadores do Grupo de Pesquisa em Inovação, Desenvolvimento e Adaptação de Tecnologias Sustentáveis (GPIDATS).

Cada participante recebeu um recipiente para coleta de amostras de água em suas residências e em outros locais que eles julgassem importantes saber a qualidade da água, como o trabalho e a escola. Depois de coletadas, as amostras foram analisadas em laboratório por todo o grupo, visando detectar a presença de bactérias, como a Escherichia coli, que indica a contaminação com fezes humanas e de outros animais.

“No geral, as amostras que os participantes nos trouxeram apresentaram significativa contaminação microbiológica” disse a pesquisadora do GPIDATS, Patricia Muller. “Isso se deve ao fato de que, em Tefé, não temos tratamento público da água e não há controle sobre a perfuração de poços particulares”.

Patricia ressalta que os resultados das análises incentivam a aplicar tratamentos domiciliares de água, um assunto que foi abordado ao final das atividades. “Estimulamos a desinfecção com o cloro (inclusive recomendado pelo Ministério da Saúde) e outros tratamentos alternativos, como a fervura ou o Solar Water Disinfection (que utiliza garrafas PET expostas ao sol para desinfetar a água) ”.

A pesquisadora Maria Cecília Gomes informa que a campanha “Como está a água em Tefé? ” foi criada a partir da demanda dos moradores da cidade, interessados em fazer análises da água no Instituto Mamirauá, unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). “Já recebemos pedidos de estudantes, de religiosos, de criadores de animais e outros”, conta.

Dia Mundial da Água – Criado em 22 de março de 1992 pela Organização Mundial das Nações Unidas (ONU), o Dia Mundial da Água é uma data para ampliar o debate e as ações para a qualidade da água no planeta. Entre os artigos da Declaração Universal dos Direitos da Água, estão “o equilíbrio e o futuro de nosso planeta dependem da preservação da água e de seus ciclos” e “A água não é somente herança de nossos predecessores; ela é, sobretudo, um empréstimo aos nossos sucessores”.

Texto: João Cunha

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: