Na Pousada Uacari, treinamentos aumentam profissionalismo dos serviços oferecidos

Publicado em: 14 de outubro de 2014

O turismo não é uma atividade tradicionalmente desempenhada por comunidades da região do Médio Solimões. Na Reserva Mamirauá, esse tipo de atividade acontece desde 1998 e consolida-se cada vez mais como uma oportunidade para geração de renda que promove conservação ambiental. Para criar o programa a proposta do ecoturismo foi apresentada em encontros com comunitários, que junto com pesquisadores e extencionistas discutiram a estratégia de implantação da atividade. 

“Aí dentro da Reserva Mamirauá, para iniciar o turismo, não foi assim tão fácil... O pessoal tinha aquela discussão, teve várias reuniões, com todas as comunidades, para poder ir implantando bem devagar. Porque um bocado quer e outro bocado não quer, aí tem que discutir. A minha comunidade foi a última a aceitar o turismo dentro da Reserva Mamirauá. Nós éramos totalmente contra e hoje somos a comunidade com mais integrantes da Associação de Auxiliares e Guias de Ecoturismo de Mamirauá (AAGEMAM)”, conta Almir Carvalho de Araújo, guia local da Pousada Uacari.  

O processo inicial de consolidação da atividade envolveu análise de viabilidade econômica, mensuração de possíveis impactos ambientais e sociais e também o desenvolvimento de tecnologias adequadas ao ambiente. Além disso, a ambientação a este tipo de atividade foi desafiadora.  “Eu não era acostumada a trabalhar fora de casa. Quando eu fui para a pousada, dava seis horas eu sentia muita falta de casa, dos meus filhos pequenos. Hoje eu estou em casa e dá vontade de voltar. E isso não era só comigo, era com as outras pessoas, a gente não tinha esse costume”, lembra  Deuzeny de Oliveira Martins, que trabalha como gerente substituta na Pousada Uacari, além de ser tesoureira da AAGEMAM.

 A capacitação foi e é uma ferramenta fundamental para que a atividade fosse instrumentalizada e desenvolvida. "Eu comecei a trabalhar em 1999 na pousada. Desde lá para cá, para a minha vida pessoal, foi muito bom. Foi surgindo os cursos, para se capacitar. Os cursos que já fiz de guia foram muito bons. Já participei de cursos de gastronomia, de primeiro socorros, para atender o público de passarinheiros e fotógrafo. Em cada curso que eu faço já levo uma coisa nova que a gente aprende, trocando ideias um com o outro, ajuda muito" conta Almir.

Este trabalho de capacitações já tem resultados bastante positivos. "Antes nós tínhamos as capacitações com as pessoas de fora. Hoje nós já estamos dando as capacitações. Para mim isso é um orgulho. Isso é um primeiro passo, que nós já sabemos como podemos dirigir outras pessoas que não tem o conhecimento. Isso para nós é uma grande diferença, porque quando a gente começou a trabalhar a gente teve o aprendizado com as pessoas do Instituto que nos ensinaram, hoje nós já temos a habilidade de ensinar as pessoas que estão querendo trabalhar juntamente com a gente", fala Tito Martins, guia local da Pousada Uacari.

Capacitações oferecidas de janeiro até agosto de 2014

 

Por Vanessa Eyng

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: