Manejadores realizam décima edição da Feira de Pirarucu em Tefé (Am)

Publicado em: 19 de outubro de 2015

Na última quinta-feira, dia 15 de outubro, a população de Tefé teve um bom atrativo para aproveitar o feriado municipal. Foi realizada, pelo Acordo de Pesca do setor Capivara, a décima edição da Feira de Pirarucu Manejado em Tefé (Am). Foram oferecidos para venda 100 pirarucus durante a feira, que teve como tema “Pirarucu legal, no mercado local”. Na parte da noite, o Festival Gastronômico do Pirarucu reuniu comidas típicas e apresentações culturais.

Henrique Alcione Batalha, que atua como um dos coordenadores no Acordo de Pesca, comemorou a participação no evento. “É o segundo ano que estamos na feira. Cada ano a expectativa da gente é que melhore. Melhore cada vez mais o trabalho, o manejo e a qualidade do peixe também”, contou.

Edilene Costa da Silva é dona de um restaurante e um buffet de eventos em Tefé e elogiou o envolvimento dos manejadores para a realização da feira no município. “O que acho interessante da feira é o desempenho deles, o jeito que eles trabalham, a união do grupo para fazer tudo e oferecer um peixe de qualidade”, afirmou.

De acordo com Alcione Batalha, atualmente, são 68 pessoas envolvidas no manejo participativo do pirarucu no setor Capivara. “Esse ano a cota autorizada é de 567 pirarucus. O manejo é uma atividade do ano todo, termina a pesca, tem que cuidar da prestação de contas, continuar com a vigilância da área, que não para. É trabalho o ano todo”, completou.

A coordenadora do Programa de Manejo de Pesca do Instituto Mamirauá, Ana Cláudia Torres, reforçou a importância do manejo para garantir a manutenção do recurso pesqueiro, a partir de um trabalho contínuo e rigoroso por parte dos manejadores, que também gera renda para as populações locais. “O consumidor às vezes obtém o produto, mas não sabe o que é necessário para que ele chegue a ser comercializado. A partir de primeiro de dezembro é o defeso da espécie e os grupos de manejo tem isso como um princípio básico de respeito para a continuação dessa iniciativa de manejo desse recurso”, disse.

Ana reforça também que, para sucesso do manejo, é necessário seguir uma série de etapas. “É um processo que tem procedimentos que precisam ser adotados, trabalhar em concordância com a lei, acatar o tamanho mínimo para o abate de acordo com a legislação, não entrar o período de defeso pescando, realizar o levantamento de estoque antes da pesca, que dará subsidio para a definição da cota do ano seguinte, então são várias etapas vivenciadas”, destacou.

Na parte da noite aconteceu o Festival Gastronômico do Pirarucu, promovido pela Secretaria Municipal de Turismo de Tefé, que ofereceu culinária tradicional, e apresentação cultural organizada pelos manejadores.

A Feira de Pirarucu Manejado foi realizada pelos pescadores do Acordo de Pesca Capivara. E, além do Instituto Mamirauá, também conta com apoio da Prefeitura Municipal de Tefé, do Departamento de Mudanças Climáticas e Gestão de Unidades de Conservação (Demuc), pertencente à Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), da 16ª Brigada de Infantaria de Selva, da Colônia de Pescadores Z-4 e do Curso de Tecnologia em Produção Pesqueira da Universidade do Estado do Amazonas (UEA).  

Texto: Amanda Lelis

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: