Mamirauá dissemina uso de energia sustentável

Publicado em: 25 de Janeiro de 2012

Com o objetivo de disseminar conhecimentos necessários para a implementação de tecnologias para geração de energias renováveis, o Núcleo de Inovações Tecnológicas Sustentáveis (Nits), do Instituto Mamirauá, promoveu a Oficina de Dimensionamento e Instalação de Sistemas Fotovoltaicos Autônomos, entre os dias 20 e 22 de fevereiro, em Tefé (AM). 

Durante três dias, um grupo de 18 pessoas acompanhou as aulas teóricas, ministradas pelo Dr. Wilson Macêdo, do Grupo de Estudos e Desenvolvimento de Energias Alternativas (Gedae), da Universidade Federal do Pará. “O resultado da oficina foi bem produtivo, pois as pessoas estavam interessadas e participando bastante. Além disso, a dinâmica utilizada, com teoria, kits educativos e parte prática, foi muito feliz”, disse Macêdo.

As atividades práticas ocorreram no Lago Tefé, onde se encontra em fase final de construção o Flutuante Jarauá, uma base que servirá de apoio para atividades de pesquisa e extensão do Instituto Mamirauá. Este flutuante terá um sistema fotovoltaico autônomo para suprir a demanda por energia. Parte das instalações desse sistema foi realizada pelos participantes do curso. 
 


Para Daniel Paes Resende, analista ambiental do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), as aulas práticas no Flutuante Jarauá serviram para o grupo colocar em prática o conhecimento teórico repassado. “Montamos toda a estrutura de um sistema fotovoltaico autônomo, testamos e colocamos em funcionamento equipamentos como freezer, lâmpadas, liquidificador, e experimentamos erros e acertos entre profissionais provenientes de diferentes realidades. Essa experiência foi importante, pois reproduz o caso real expondo as principais dificuldades e as alternativas para solucionar os problemas apresentados, além de ser um exercício para o trabalho em equipe”, acrescentou Resende.
 
O Flutuante Jarauá segue nas próximas duas semanas para o interior da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, distante 60 quilômetros de Tefé (vide mapa ao lado). No local, não há energia elétrica, então uma das tecnologias empregadas foi um sistema fotovoltaico. São 20 placas de 135 Wp, 20 Baterias de 150 Ah e um inversor de onda senoidal pura de 1500 W de potência, formando um sistema com capacidade para suprir com energia solar uma demanda diária de 7,8 KWh. 
 
A base flutuante tem uma área construída de 305 m², três quartos, sala de estudos, refeitório, cozinha, dois banheiros, depósitos e pode hospedar até 20 pessoas. “Aliar tecnologia sustentável em prol da realização de pesquisas na Amazônia é um dos nossos objetivos com o aperfeiçoamento e construção de flutuantes”, disse Josivaldo Modesto, coordenador do Nits. O Flutuante Jarauá também possui telhado feito de telhas de PET reciclado e sistema de captação de água de chuva.

Por Eunice Venturi

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: