Livro reúne 15 anos de experiência com a conservação de pirarucus

Publicado em: 26 de maio de 2014

Artigos resultados de pesquisas sobre a biologia dos pirarucus e iniciativas de manejo da espécie na Amazônia estão reunidos em um livro que acaba de ser lançado pelo Instituto Mamirauá. Destinada a técnicos, lideranças de pescadores e outros pesquisadores, a proposta da publicação é trocar experiências, prover técnicos e tomadores de decisão de uma literatura especializada, acentuar e acelerar a multiplicação das práticas de manejo.
 
Com o título “Biologia, Conservação e Manejo Participativo de pirarucus na Pan-Amazônia”, a publicação reúne 19 artigos. Foram elaborados pelos principais especialistas e técnicos ligados ao manejo de pirarucu na atualidade e que participaram do 1º Seminário Internacional sobre Conservação de Manejo de pirarucu em ambientes naturais, realizado em 2012 pelo Instituto Mamirauá. A missão do livro é disponibilizar aos interessados as principais informações sobre o manejo de pirarucu geradas na última década, a fim de subsidiar suas ações em campo.
 
As informações reunidas no livro podem contribuir para criar planos de manejo realistas e de qualidade tanto na Amazônia Brasileira quanto nos países vizinhos da Pan-Amazônia. “Temos que criar ferramentas que tornem o conhecimento acessível. É isso que o Instituto Mamirauá tem feito nos cursos e também na linguagem acessível deste livro”, disse Ellen Amaral, organizadora da publicação e consultora do Instituto Mamirauá. O livro é inovador por sua linguagem, uma vez que muito do conhecimento da biologia e ecologia do pirarucu está em inglês ou em artigos científicos com linguagem técnica.
 
O livro é organizado em três partes. A primeira traz 10 artigos sobre biologia, ecologia e genética do pirarucu, assim, como sobre economia e documentação fotográfica do manejo. A segunda reúne quatro artigos sobre a visão institucional do manejo, o método de avaliação que auxilia o melhor desenvolvimento da atividade, e as estratégias para a recuperação da população de pirarucus em áreas de manejo fora de Unidades de Conservação,   como no caso do Baixo Amazonas. A parte final do livro é destinada a quatro experiências de manejo desenvolvidas em regiões do Amazonas, Pará e na Reserva Pacaya-Saimiria, no Perú.
 
“O que encontramos é que enquanto a biologia e ecologia do pirarucu são mais ou menos bem entendidas, os principais gargalos para promover a conservação do pirarucu estão na área de manejo”, explica Leandro Castello, Professor Adjunto da Virginia Tech University e um dos colaboradores da publicação. 
A publicação está disponível para download. Acesse www.mamiraua.org.br/livropirarucus 

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: