Jovens da Amazônia participam de encontro de comunicação popular

Publicado em: 28 de outubro de 2014

Jovens das comunidades ribeirinhas da Amazônia tiveram a oportunidade de conhecer e aprender sobre diferentes técnicas e ferramentas de comunicação. Foi realizado pelo Instituto Mamirauá, entre os dias 22 e 24 de outubro, o 6º Encontro de Comunicadores Populares.

Participaram das atividades 22 jovens de comunidades das Reservas de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá e Amanã, da Reserva Extrativista Catuá-Ipixuna e Floresta Nacional de Tefé, bem como jovens das escolas do Sistema Público de Educação de Tefé.

Em 2014, o tema escolhido para orientar as atividades do encontro foi Agricultura Familiar. “A ONU declarou esse ano como Ano Internacional da Agricultura Familiar. Achamos interessante trazer esse tema, falar sobre a importância da agricultura para as famílias da região, divulgando e fortalecendo o trabalho que é desenvolvido nas comunidades”, destacou Marco Lopes, técnico em comunicação popular do Instituto.

De acordo com Marco, o principal objetivo do encontro é integrar os comunicadores populares participantes da Rede Ribeirinha de Comunicação Popular, fortalecer a ação dos comunicadores populares nas suas comunidades, além de subsidiar os participantes em técnicas de “edu-comunicação” e de fazer do evento um instrumento de intercâmbio de conhecimento.

Com o slogan “A Juventude à frente da sua história”, o encontro ofereceu três dias de atividades. Os alunos assistiram uma apresentação sobre Agricultura Familiar concedida pelos pesquisadores do Programa de Manejo de Agroecosistemas do Instituto, aprenderam conceitos sobre comunicação e participaram de oficinas práticas de rádio, vídeo e história em quadrinhos.

“Além de poderem participar do fortalecimento das atividades de comunicação das comunidades, os jovens também podem ser protagonistas na produção e divulgação de informação, na difusão dos conhecimentos que estão aprendendo no curso”, reforçou Marco.

O jovem Bruno dos Santos Oliveira, de Catuá-Ipixuna, participou da oficina de história em quadrinhos. “Achei bastante interessante, foi a primeira vez que participei do curso. É importante levar esse conhecimento para a comunidade, transmitir melhorias que podem acontecer. Quem sabe futuramente vou poder ser um comunicador na minha comunidade”, afirmou Bruno. 

Texto: Amanda Lelis

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: