Instituto Mamirauá realiza palestra sobre agroecologia no IFAM-Manaus

Publicado em: 25 de outubro de 2018

A veterinária Paula Araujo compartilhou experiências de assessoria realizada pelo instituto para criação agroecológica de gado na região do Médio Solimões, Amazonas

Os estudantes do curso de Agroecologia do Instituto Federal do Amazonas (IFAM) em Manaus foram o público da palestra “Instituto Mamirauá e Manejo Agroecológico de Gado”. O evento aconteceu no início de outubro e foi conduzido pela veterinária Paula Araujo, técnica do Programa de Agroecossistemas do Instituto Mamirauá.

Localizado em Tefé, região do Médio Solimões, o Instituto Mamirauá realiza há anos a assessoria técnica a criadores de gado, orientando práticas sustentáveis e eficientes para melhor produtividade.

Na palestra, a técnica do instituto ressaltou as abordagens participativas que envolvem diretamente os criadores nas decisões sobre o manejo de gado.

"Falei sobre a experiência da assessoria técnica com os criadores de gado, as ferramentas de diagnóstico participativo que utilizamos ao longo desses 6 anos de atuação e como é feita a construção das propostas de manejo junto com os produtores, horizontalizando nossas experiências, além de, através de pesquisas, contribuir para a construção do conhecimento no manejo agroecológico de bovinos e bubalinos”, conta a veterinária.

Em seguida, Paula Araujo visitou as instalações do antigo Instituto de Permacultura da Amazônia (IPA), atualmente administrado pelo IFAM. Acompanharam ela o professor Nailson Nina e o estudante Sydnei Fogassa. Junto com professores da instituição de ensino, foi discutida a possibilidade de parcerias com Instituto Mamirauá.

Instituto reúne com demais membros da Comissão de Produção Orgânica do Amazonas

Desde o ano passado, o Instituto Mamirauá compõe a Comissão de Produção Orgânica do Estado do Amazonas (CPOrg/AM). A comissão reúne organizações que atuam no incentivo à agroecologia e fornece subsídios às atividades necessárias ao desenvolvimento do setor em âmbito estadual.

Representando o instituto, Paula Araujo participou de reunião com membros da CPOrg/AM, realizada no último dia 4. Em pauta, a certificação orgânica do pirarucu manejado no Amazonas, a realização da Semana Nacional do Alimento Orgânico e a consulta pública sobre mudanças da Instrução Normativa (IN) 46, que se refere à produção animal e vegetal orgânica no estado.

Rede Maniva

No início da semana, a técnica do Instituto Mamirauá foi à Rio Preta da Eva, município distante cerca de 80 km de Manaus, para conhecer unidades de produção orgânica da agricultura familiar. A visita foi um convite da Rede Maniva de Agroecologia do Amazonas, movimento social que une agricultores e organizações no fomento à agroecologia no estado.

“Lá a equipe se dividiu para conseguir construir com cada família, o Plano de Manejo Orgânico de suas áreas, documento necessário para a regularização da atividade. Durante o preenchimento dos formulários, nos deparamos com algumas dúvidas no preenchimento, coisas que apenas com a prática é possível identificar. Isto acabou contribuindo para a nossa própria capacitação, dominando melhor os processos envolvidos na produção orgânica, além de conhecer um pouco mais da agricultura orgânica de base familiar na Amazônia”.

Agroecologia é incentivada pelo Fundo Amazônia

Com o projeto Mamirauá: Conservação e Uso Sustentável da Biodiversidade em Unidades de Conservação (BioREC), o Instituto Mamirauá - unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Comunicações e Inovações (MCTIC) - realiza capacitações e assessorias de multiplicadores agroflorestais e pecuaristas agroecológicos e a replicação e multiplicação de Sistemas Agroflorestais (SAFs) e sistemas pecuários agroecológicos.  O projeto é financiado pelo Fundo Amazônia, gerido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Texto: João Cunha

 

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: