Instituto Mamirauá realiza oficinas de educação ambiental

Publicado em:  3 de setembro de 2013

O Instituto Mamirauá, através do Programa de Gestão Comunitária, realizou nos dias 22 e 23 de agosto uma oficina de educação ambiental para 25 professores que atuam na área da Reserva Mamirauá nos setores Aranapu e Barroso, município de Uarini.

O objetivo foi fortalecer as ações de educação ambiental e informar as comunidades sobre o trabalho de reposição florestal que o Instituto Mamirauá está desenvolvendo. Cada escola ganhou duas mudas de várias espécies de árvores (mulateiro, andiroba, louro-inamuí e piranheira) para que fossem plantadas pelos professores, alunos e demais comunitários. Os professores foram orientados sobre as técnicas de plantio e cuidado dessas mudas. Foi entregue uma ficha com informações e particularidades de cada espécie para que os professores possam inserir esses conteúdos em suas aulas. Já nas comunidades, o plantio foi realizado com sucesso.

O plantio das mudas tem como finalidade desenvolver o projeto Reposição Florestal, do Programa de Gestão Comunitária em parceria com o Programa de Manejo Florestal Comunitário e que busca trabalhar a sensibilização dos comunitários para que eles plantem as mudas quando retirarem uma árvore, de modo a garantir a sustentabilidade do meio ambiente.

Na oportunidade, foi ministrada uma oficina sobre aves aquáticas migratórias como a gaivota e o corta-água e também sobre mutuns e gavião-real. Trabalhou-se a construção de planos de aula utilizando a fichas técnicas que foram entregues sobre as aves. O objetivo é enfatizar nas aulas a conservação do hábitat dessas espécies e sensibilizar as comunidades para que protejam as praias, as aves e seus ninhos.

Para Sandro Augusto Regatieri, educador ambiental, o trabalho foi muito interessante, pois no dia 22 fizeram a oficina com os professores do setor Aranapu e no dia seguinte os professores e comunitários do setor já estavam plantando as mudas com o forte apoio de algumas lideranças comunitárias.

“Foi uma ação que o Instituto Mamirauá fez pensando na escola e nos futuros manejadores e o mais interessante é que os manejadores que já atuam na área estão preocupados com a educação ambiental, e isso é importante, pois mostra que as comunidades estão empenhadas e abraçando essa ideia e esperamos que continuem com essa prática”, conclui Sandro.

Texto: Francisco Rocha 

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: