Instituto Mamirauá realiza oficina de formação de Agentes Ambientais Voluntários

Publicado em: 20 de setembro de 2017

Curso de capacitação foi realizado na comunidade Santa Tereza do Cubuá, na Reserva Amanã

Entre os dias 13 e 15 de setembro, moradores de diferentes comunidades da Reserva Amanã participaram da sexta oficina de Formação de Agentes Ambientais Voluntários. A capacitação foi promovida pelo Instituto Mamirauá em parceria com o Departamento de Mudanças Climáticas e Gestão de Unidades de Conservação (Demuc) da Secretaria de Estado do Meio Ambiente do Amazonas.  

De acordo com Paulo Roberto e Sousa, técnico de Proteção Ambiental do Instituto Mamirauá, durante a capacitação são utilizadas metodologias participativas a fim de que o ponto de partida da oficina sejam os conhecimentos dos comunitários. “O diferencial é que a oficina parta da ideia que os participantes têm sobre as diversas temáticas que são abordadas para depois informar de fato o que é. Qual é o papel do agente ambiental voluntário? O que ele pode ou não pode fazer? Quais são seus objetivos e que perfil ele deverá ter? Da mesma forma com a temática do meio ambiente”, afirma.

Ainda de acordo com Paulo, os participantes da oficina agora têm três meses para colocar em prática os conhecimentos que receberam. “Eles retornam às suas comunidades e fazem uma experiência com os planos de trabalho elaborados durante o curso. A ideia é que eles se sintam motivados a tornar-se oficialmente um agente ambiental voluntário”. Após esse período, os participantes serão avaliados e, caso aprovados, receberão credencial do Centro Estadual de Unidades de Conservação (Demuc) para realizar um trabalho voltado à proteção das Reservas.

O Instituto Mamirauá é responsável pelo acompanhamento do trabalho dos 114 agentes ambientais voluntários em atividade. “Ao longo do ano vamos à campo e percorremos todas as regiões das Reservas Mamirauá e Amanã que possuem agentes ambientais ativos. É um momento de diálogo com os agentes e com suas comunidades, onde procuramos orientar sobre dificuldades e problemas que eles possam estar enfrentando”, explica o técnico. 

Segundo Paulo, o programa de “Agentes Ambientais Voluntários” é uma ferramenta importante para o desenvolvimento sustentável das unidades de conservação, principalmente em regiões onde já é feito o manejo de recursos naturais. “A estratégia é utilizar o diálogo para descontruir a ideia que as pessoas têm de que trabalhar a margem da lei é mais vantajoso”, finaliza.   

Esta ação faz parte do projeto “Participação e Sustentabilidade: O Uso Adequado da Biodiversidade e a Redução das Emissões de Carbono nas Florestas da Amazônia Central” (BioREC), do Instituto Mamirauá, unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicação. O projeto tem financiamento do Fundo Amazônia, gerido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES).

Compartilhando Saberes

Em 2015, o Instituto Mamirauá produziu o vídeo “Agentes Ambientais Voluntários” sobre o programa. A produção faz parte da série de documentários “Compartilhando Saberes”, que teve como objetivo apresentar algumas ações desenvolvidas pelo Instituto em parceria com as comunidades das Reservas Mamirauá e Amanã. Além do programa de agentes ambientais, foram retratadas iniciativas com o manejo de pirarucu, turismo de base comunitária e sistema de abastecimento de água.

Assista aos documentários aqui.

Texto: Laís Maia 

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: