Instituto Mamirauá instala mais um sistema de abastecimento de água

Publicado em:  4 de abril de 2014

Acordar, descer para pegar água na beira do rio, limpar a casa, fazer o trajeto mais três ou quatro vezes para ter água durante o dia. Essa era a rotina da presidente da Comunidade Várzea Alegre, Luciete Praia, antes da instalação do sistema experimental de abastecimento de água pelo Instituto Mamirauá. Assim como ela, todos os moradores tinham que se deslocar até o rio diariamente, tarefa que ficava ainda mais difícil na época da seca, já que a distância aumentava em vários metros.  

O sistema consiste no bombeamento de água com uso de energia solar fotovoltaica. Painéis fotovoltaicos são colocados sobre o rio em balsas flutuantes, bombeando a água para um reservatório elevado. A caixa d’água é conectada a um filtro de areia, para pré-tratamento da água e remoção de sólidos grosseiros. Após a filtração, parte da água é distribuída por gravidade para a comunidade com um ponto de fornecimento em cada domicílio, e outra parte passa por um filtro lento e é armazenada em outro reservatório de uso coletivo que apresenta uma água de melhor qualidade para consumo humano. A obtenção de água é difícil em várias comunidades da várzea, dificultando a instalação de sistemas hidráulicos.

Por isso, pesquisadores e técnicos do Programa Qualidade de Vida do Instituto Mamirauá estudaram a região e encontraram formas de levar o benefício aos moradores. Várzea Alegre foi a décima sexta comunidade que recebeu o experimento. “A função do Instituto Mamirauá é pesquisar e achar maneiras de criar tecnologias que vão dar certo na região de várzea. Agora o experimento pode ser replicado pelo poder público para as demais comunidades que ainda não foram contempladas”, comentou o técnico em energia solar, Ademir Vilena Reis.

A instalação do novo sistema teve ajuda dos moradores. Eles serraram as madeiras e cavaram as valas que abrigam a tubulação. A ligação da bomba foi muito esperada, e a chegada da água, comemorada por todos da comunidade. “Vai mudar muita coisa. Não preciso perder tempo para ir à beira, teremos água com mais qualidade e mais conforto. Posso passar mais tempo com meu filho e fico aqui em casa. Essa água é muito suja e agora teremos uma água bem melhor”, elucidou a presidente de Várzea Alegre.

 

Instalação e inovação

A instalação é resultado de uma parceria entre o Instituto Mamirauá e a comunidade. A entidade entra com a parte de assessoria técnica, equipamentos e montagem. Já os comunitários tiveram que disponibilizar matérias-primas para a construção da base que recebeu o reservatório. A novidade desse sistema foi a instalação de um filtro lento para purificar a água. Esse recurso encherá uma caixa d’água no centro da comunidade que deve ser utilizada para consumo e preparação de alimentos. Esse filtro será monitorado pela equipe de técnicos e pesquisadores para avaliar sua eficiência.

“Estamos inovando com essa tecnologia. Colocamos um filtro para melhorar a qualidade da água. As pessoas precisam de água para consumo e é isso que nós estamos buscando. Esse é um sistema que trará conforto e qualidade para eles, principalmente, no período de seca. Espero que o sistema seja incorporado pela comunidade para que traga melhoria para a qualidade de vida e que eles possam zelar para que dure e que tenham água de qualidade por muitos anos”, comentou, o técnico em qualidade de vida, Josenildo Frazão da Silva. 

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: