Instituto Mamirauá divulga resultados preliminares do inventário de aves da Floresta Nacional de Tefé

Publicado em: 10 de julho de 2014

O Corredor Ecológico Central da Amazônia integra diversas Unidades de Conservação, entre elas a Floresta Nacional de Tefé, que tem quase 870 mil hectares de Florestas de Várzea, Terra Firme e Igapó. É nessa área que foram realizadas, até o momento, pesquisas científicas pontuais, sendo a biodiversidade local quase desconhecida. Inventariar a fauna da região é fundamental para saber qual a importância para a conservação que essa Unidade de Conservação representa. Foi partindo desta necessidade que a pesquisadora Bianca Bernardon, do Grupo de Pesquisa em Ecologia de Vertebrados Terrestres do Instituto Mamirauá, realizou estudo com o objetivo de fazer um primeiro levantamento sistemático das espécies de aves existentes na Floresta Nacional de Tefé. 
 
Entre 25 e 30 de julho de 2011, a pesquisadora realizou 23 horas de observações qualitativas ao longo do Rio Tefé e em trilhas utilizadas por moradores das comunidades locais, em uma expedição coordenada pelo núcleo em Tefé do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Foram registradas 165 espécies de aves, pertencentes a 51 famílias. Entre as encontradas, constam na Lista Internacional de Espécies Ameaçadas da IUCN as espécies Patagioenas subvinacea (pomba-botafogo), Harpia harpyja (gavião-real) e Amazona festiva (papagaio-da-várzea). Devido à proximidade geográfica e pelo fato de a FLONA de Tefé apresentar ambientes de floresta de terra firme e várzea, a diversidade de aves pode apresentar similaridades com aquela encontrada na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã, que atualmente conta com uma lista de cerca de 420 espécies, sendo que o número total estimado é de 624 espécies. 
 
Se comparada com listas de aves da região, considerando as reservas Amanã e Mamirauá, a avifauna da FLONA de Tefé possui cinco espécies ainda não registradas nessas localidades: Ortalis guttata (aracuã), Phaethornis malaris (beija-flor besourão-de-bico-grande), Hylexetastes stresemanni (arapaçu-de-barriga-pintada), Dixiphia pipra (cabeça-branca), Psarocolius bifasciatus (japuaçu), e  seis  espécies  com  ocorrência  restrita para  a  margem  sul  do rio Solimões: Galbula cyanicollis (ariramba-da-mata), Microrhopias quixensis (papa-formiga-de-bando), Sciaphylax hemimelaena (formigueiro-de-cauda-castanha), Gymnopithys salvini (mãe-de-taoca-de-cauda-barrada), Ceratopipra rubrocapilla (cabeça-encarnada) e Icterus cayanensis (inhapim). Segundo a pesquisadora, “este foi o primeiro inventário de aves realizado na Florestal Nacional de Tefé, com obtenção de uma amostragem razoável da avifauna local, mas são necessários levantamentos futuros, em diferentes áreas, para se atingir um número de espécies mais próximo do esperado para a região e para subsidiara tomada de medidas necessárias para conservação de espécies ameaçadas”. 

A pesquisa sobre o inventário da Floresta Nacional de Tefé foi apresentado durante o 11º Simpósio sobre Conservação e Manejo Participativo na Amazônia, promovido pelo Instituto Mamirauá, em Tefé (AM). 
 

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: