Instituto Mamirauá analisa geração de energia a partir da velocidade da correnteza dos rios

Publicado em:  2 de junho de 2014

O Instituto Mamirauá, por meio do seu Núcleo de Inovação e Tecnologias Sustentáveis (Nits), recebeu representantes da empresa alemã Smart Hydro Power que apresentaram uma tecnologia inovadora para produzir energia limpa: uma turbina que gera eletricidade a partir da velocidade da correnteza dos rios, dispensando quedas d’água ou barragens.

Criada para eletrificação rural, a turbina hidrocinética é construída em torno do eixo horizontal de um gerador de 5kW. Uma boia integrada permite que o equipamento se adapte ao nível da água enquanto um sistema de ancoragem o mantém submerso na época de cheia dos rios – impedindo que troncos ou detritos o atinjam.

Segundo a empresa alemã, a fauna aquática não é perturbada por conta do desenho da turbina. Uma proteção frontal, similar a uma rede, impede que detritos ou peixes se choquem no equipamento e a força da turbina usa apenas a velocidade da correnteza – ou seja, não tem força para puxar os peixes.

Juliana Baumgartl, representante da Smart Hydro Power, explicou que é importante analisar como o equipamento pode se adequar às necessidades das comunidades ribeirinhas na região do Médio Solimões. A experiência do Instituto Mamirauá com desenvolvimento de tecnologias sociais para gerar energia limpa na região, mostra que os desafios envolvem criar condições para conservação de alimentos. Estudos envolvendo energia solar têm sido aplicados e a equipe do Nits prevê possibilidades de conjugar a energia hidrocinética com a fotovoltaica para aperfeiçoar os resultados dessa demanda.

“A essência de trazer a Smart Hydro Power é encontrar formas de cooperação”, explica Josivaldo Modesto, coordenador do Nits. “Ela [Smart Hydro Power] trabalha no seguimento do Instituto Mamirauá em relação a tecnologias limpas”, explica o coordenador que adiantou a possibilidade da incubadora do Nits receber empresas de base tecnológica.

A pesquisadora do Instituto Mamirauá, Ana Claudeise do Nascimento, levantou questões sobre o potencial da turbina hidrocinética. “Precisamos testar para ver se a tecnologia é compatível. É importante considerar todo o ambiente”, pontuou a pesquisadora enfatizando a importância de fazer readequações na tecnologia.

Ecogerma

O Instituto Mamirauá participou da Ecogerma Brasil, evento promovido em Manaus, entre os dias 27 e 28 de maio, que encerra o ano da Alemanha no Brasil. O evento, organizado pelo Governo do Estado do Amazonas, FIEAM e SUFRAMA, proporcionou a oportunidade de interagir com potenciais investidores e parceiros que possam fornecer tecnologias inovadoras para o desenvolvimento sustentável do estado. "A ECOGERMA foi um momento propício para a prospecção de novas tecnologias de energia limpa e novas parcerias para o instituto", concluiu Josivaldo Modesto, coordenador do Núcleo de Inovações e Tecnologias Sustentáveis do Instituto Mamirauá que acompanhou o encontro. 

Texto: Everson Tavares

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: