Fundo Amazônia grava ações do Instituto Mamirauá para a COP21

Publicado em: 25 de outubro de 2015

Entre os dias 19 e 23 de outubro, o Fundo Amazônia, gerido pelo BNDES, percorreu as Reservas Mamirauá e Amanã, para filmar e fotografar ações desenvolvidas pelo Instituto Mamirauá. O objetivo é renovar o vídeo institucional do fundo e a primeira veiculação será durante a 21ª Conferência do Clima, promovida pelas Organizações das Nações Unidas (ONU), de 5 a 12 de dezembro, na França.
 
Foram quatro dias de gravação, que iniciaram na Reserva Amanã, com o acompanhamento das ações financiadas pelo Fundo Amazônia voltadas para o desenvolvimento de Agentes Ambientais Voluntários. Os agentes são moradores das unidades de conservação treinados para realizarem atividades de educação ambiental, proteção, vigilância e controle do uso dos recursos naturais.

Entre os entrevistados, estava o agente Luís Sérgio dos Reis, líder da Comunidade Boa Esperança, que explicou sobre o trabalho: "Como agente ambiental, nós temos três funções: educação, informação e conscientização. Sempre digo para as pessoas, que o nosso trabalho não é para prejudicar ninguém, o nosso trabalho é para evitar que as pessoas se prejudiquem, descumpram as normas da reserva".

Na mesma reserva, o agricultor Jesuy Tavares, que participa dos projetos que estão implementando Sistemas Agroflorestais (SAFs) em unidades de conservação pelo Programa de Manejo de Agroecosistemas do Instituto Mamirauá. "Com esses projetos, nós estamos pensando em conservar o ambiente para nosso uso, mas, principalmente, para os nossos filhos e netos", relatou o agricultor.


© Eunice Venturi
 

Já na Reserva Mamirauá, a equipe visitou a Comunidade Sítio Fortaleza, que fica a três horas de distância de Tefé (AM). Nessa comunidade, o Instituto Mamirauá está implementando o projeto "Cantinho da Ciência", um espaço para promoção de práticas de educação, por meio da instalação de equipamentos de laboratório (microscópios, lupas, etc.) e miniviveiros. A gravação foi acompanhada por Eliane Neves, educadora ambiental do Instituto Mamirauá.

O último dia de gravação foi na sede do Instituto Mamirauá, em Tefé. Foram gravadas ações financiadas pelo fundo do componente de pesquisas em ecologia florestal, tanto em laboratório como na Casa de Vegetação. Além das ações desenvolvidas pelo Instituto Mamirauá, mais três projetos terão suas iniciativas retratadas, das cidades de Rio Branco, Cruzeiro do Sul e Altamira.
 
Texto: Eunice Venturi

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu email: