Em feira, pirarucu manejado supera R$ 20 mil de faturamento para ribeirinhos

Publicado em: 29 de outubro de 2019

15º Feira do Pirarucu Manejado de Tefé aconteceu nos dias 12 e 13 de outubro

Pescado sustentável que se tornou símbolo do desenvolvimento sustentável no interior da Amazônia, o pirarucu manejado superou R$20 mil reais de faturamento para pescadores ribeirinhos na 15º Feira do Pirarucu Manejado e Agricultura Familiar de Tefé.

O evento aconteceu nos dias 12 e 13 de outubro no Mirante das Mangueiras, em Tefé, no estado do Amazonas.

Foram 103 peixes vendidos e provenientes do Acordo Pesca do Setor Pantaleão da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã, grupo que conta com a assessoria técnica do Programa de Manejo de Pesca (PMP) do Instituto Mamirauá, organização social fomentada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

Do total, 45 foram vendidos no primeiro dia e 58 no segundo, resultando num faturamento bruto de R$ 23.538,50. 

 Os preços estabelecidos variaram de R$2 a R$13 o quilo, de acordo com a parte do pescado. Além dos diversos cortes de carne, foram também comercializadas as vísceras e as carcaças dos peixes. 

Combate à clandestinidade e conservação da espécie

“A feira possibilita que a população tenha acesso ao produto legal, e aproxima quem produz de quem consome, é a melhor estratégia de combate ao comércio clandestino da espécie”, afirma a coordenadora do Programa de Manejo de Pesca (PMP) do Instituto Mamirauá, Ana Cláudia Torres.

A espécie chegou a sofrer risco de extinção local na região na década de 1980, após sobrexploração. 

Implementado há 20 anos na região, o Plano de Manejo do Pirarucu permitiu que centenas de comunidades ribeirinhas alinhassem a pesca realizada tradicionalmente pelas populações com a conservação da espécie, que se encontrava ameaçada na principalmente pela invasão de barcos pesqueiros ilegais na região. 

O programa de manejo estabelece critérios como cota, tamanho mínimo e período de defeso para a pesca do peixe, respeitando o ciclo reprodutivo da espécie e mantendo-a fora de perigo.

Agricultura familiar e atividades

Além da venda do pescado, a feira também teve produtos da agricultura familiar da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã, da Floresta Nacional de Tefé (Flona), da Emade e comunidade Missão.

As crianças realizaram atividades montando brinquedos de montagem e colorindo desenhos do maior peixe de escamas de água doce do mundo. Os visitantes do evento também puderam tirar fotos com dois pirarucus que ficaram em exposição.

A 15º Feira de Pirarucu Manejado e da Agricultura Familiar de Tefé teve financiamento do Banco da Amazônia e do Governo Federal e contou com o apoio da Prefeitura Municipal de Tefé, Colônia de Pescadores Z-4 de Tefé, DEMUC/SEMA, Fundação Amazonas Sustentável (FAS), Sebrae e IDAM.

Texto: Júlia de Freitas


Pescadores ribeirinhos da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã (Foto: Júlia de Freitas)
Mais de 100 peixes foram vendidos (Foto: Júlia de Freitas)
Crianças participaram de atividades (Foto: Júlia de Freitas)
Evento teve financiamento do Banco da Amazônia (Foto: Júlia de Freitas)

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: