Estudantes apresentam relatórios finais de projetos de pesquisas

Publicado em:  5 de agosto de 2015

Os bolsistas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica do Instituto Mamirauá (Pibic) apresentaram, nos dias 03 e 04 de agosto, os resultados dos seus projetos de pesquisa realizados entre agosto de 2014 e julho de 2015. Foram 25 apresentações de projetos sobre temas que abrangiam áreas sociais e biológicas. O Seminário de apresentação dos resultados aconteceu na sede do Instituto, que atua como uma unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, situada em Tefé (AM).

A coordenadora de pesquisa do Instituto, Maria Cecília Gomes, elogiou o bom desenvolvimento dos alunos e comentou sobre as futuras oportunidades dos jovens. “Um dos objetivos do Programa Pibic é despertar a vocação científica e confirmamos isto quando vemos ex-bolsistas de iniciação científica ingressando no mestrado e doutorado. A participação no projeto leva ao desenvolvimento do estudante de diversas formas, inclusive nos estudos, pois enquanto faz as atividades de seu plano de trabalho ele usa os conhecimentos adquiridos na escola ou na universidade”, afirmou.

Lucimara Almeida dos Santos é graduada pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA). A jovem é filha de pescador e durante a sua apresentação, contou da sua familiaridade com a atividade pesqueira. Ela apresentou os resultados do projeto “Técnicas e conhecimentos ecológicos tradicionais entre pescadores urbanos de Tefé, AM”.

Lucimara, que é bolsista Pibic Sênior, acompanhou atividades dos pescadores de Tefé para descrever as diferentes técnicas e apetrechos utilizados para a atividade. Um exemplo interessante descrito pelo projeto foi um novo apetrecho criado pelos pescadores de Tefé para a captura do Jaraqui, espécie muito apreciada na região. De acordo com a bolsista, os pescadores observaram que as técnicas utilizadas anteriormente prejudicavam diferentes espécies de peixes, sem valor comercial, por não ser possível fazer seleção por tamanho durante a pesca. E, a partir dessa observação, desenvolveram uma nova técnica que foi aceita e hoje é amplamente utilizada entre os pescadores do município.

“Com esse apetrecho, o pescador passa a escolher o peixe para a captura. E pega apenas o jaraqui. A partir dessa percepção do pescador pela atividade, dessa relação dele com o ambiente, da sua consciência ambiental sobre a interferência da pesca na população de outras espécies, podem surgir novos meios de pesca”, comentou Lucimara.

A bolsista Júnior Rosiane Carvalho de Lima, estudante da Escola Estadual Deputado Armando de Souza Mendes, apresentou os resultados do projeto “Inventário e Catalogação das peças indígenas da Coleção Etnográfica do Instituto Mamirauá”. Atualmente, 386 peças fazem parte da coleção etnográfica do Instituto iniciada em 1999. As peças são agrupadas em distintas categorias artesanais.

Durante o projeto, foram catalogadas 86 peças produzidas por 20 grupos indígenas de diferentes regiões, como Amazonas, Pará, Mato Grosso e Roraima. Durante a apresentação, a bolsista destacou que o trabalho buscou ir além da análise do objeto em si, já que cada um deles caracteriza conhecimentos ecológicos, estéticos, simbólicos e econômicos dos grupos que os produziram, o que configura as peças como elementos identitários. Rosiane ganhou destaque na classificação dos melhores trabalhos apresentados.

Os melhores trabalhos expostos durante o Seminário foram anunciados no encerramento. Abaixo, a lista com os premiados:

Pibic Sênior

1º lugar - Verônica Lima Fernanda: “Conservação de Urnas do Lago Amanã”

2º lugar - Viviane da Silva Marcos: “Demanda de madeira na cidade de Tefé –AM”

Pibic Júnior

1º lugar - Arielem Lopes de Almeida: “Uso da água, sanitários e gestão do lixo pelos ribeirinhos urbanos de Tefé-AM”

2º lugar - Empate entre Eduarda Cecília Araújo e Rosiane Carvalho

Eduarda Cecília: “O que você comeu ontem? Consumo de proteína animal na cidade de Tefé”

Rosiane Carvalho de Lima: “Inventário e Catalogação das peças indígenas da Coleção Etnográfica do Instituto Mamirauá”

Texto: Amanda Lelis

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: