Equipes do Instituto Mamirauá avaliam as ações de manejo realizadas neste ano

Publicado em:  5 de dezembro de 2016

As ações de manejo, realizadas pela equipe do Instituto Mamirauá no ano de 2016, foram apresentadas entre os dias 30 de novembro e 2 de dezembro na sede da instituição. A equipe de técnicos e pesquisadores sociais esteve reunida durante o Seminário da Manejo de Recursos Naturais e Desenvolvimento Social (DMD), que é realizado anualmente para avaliação das atividades e discussão do planejamento para o próximo ano.  

Elenice Assis, do Programa de Manejo Florestal Comunitário, comentou que o encontro é uma oportunidade de conhecer os trabalhos desenvolvidos pelas equipes dos outros Programas do Instituto e afinar as metas e ações para o próximo ano. “O seminário é um momento em que a gente compartilha todas as atividades planejadas e o que conseguimos realizar. O que a gente nota é que, muitas vezes, conseguirmos fazer mais do que o planejado. E é um momento em que conseguimos perceber quais as estratégias que os outros grupos tomaram para solucionar os desafios, quais as parcerias estabelecidas, por exemplo. Isso é interessante, porque nos ajuda a definir nosso trabalho. No planejamento para o próximo ano, podemos coordenar as atividades da DMD na Reserva, de forma que não sobrecarregue ninguém, nem as equipes do Instituto e nem as comunidades”, contou Elenice.

Um dos projetos apresentados durante o encontro foi a Unidade de Beneficiamento de Polpa de Frutas da comunidade Boa Esperança, localizada na Reserva Amanã. O projeto está sendo realizado com o envolvimento de três programas de manejo do Instituto - unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações: o Programa de Manejo de Agroecossistemas, o Programa Qualidade de Vida e o Programa de Gestão Comunitária. “Foi muito benéfica essa ação conjunta entre as três equipes e com a comunidade. Estamos elaborando um regimento interno para a tecnologia, que vai dar segurança para o grupo de produtores e para que a unidade comece a funcionar”, comentou Josenildo Frazão, técnico em tecnologias sociais no Instituto.

A Unidade é financiada pelo Fundo Amazônia, gerido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A proposta é a organização dos agricultores da comunidade para o aproveitamento das frutas, a partir do beneficiamento e comercialização das polpas. Neste ano, já foram instalados sistemas fotovoltaicos que vão gerar energia para os freezers e demais equipamentos, a reforma do sistema de distribuição de água da comunidade, por poço artesiano, a instalação de um sistema de abastecimento de água de chuva, e a reforma do espaço onde ficará a unidade. A expectativa é que, no próximo ano, a unidade já inicie o funcionamento.

Uma novidade para 2017 é a realização de projetos com o financiamento da Gordon and Betty Moore Fundation. O apoio contribuirá para a continuidade das atividades do Instituto Mamirauá. Como parte da proposta está a realização de cursos de multiplicadores, para expandir os conhecimentos já adquiridos com os projetos de manejo, ao longo do período de atuação do Instituto Mamirauá, para outras regiões.

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu email: