III Encontro Nacional de Parteiras Tradicionais reúne mulheres online

Publicado em:  4 de novembro de 2020

Participantes do Amazonas implementarão projeto recém aprovado sobre inserção das parteiras tradicionais na atenção à saúde da mulher gestante em áreas ribeirinhas do Estado

O cenário virtual foi determinante para a realização da terceira edição do Encontro Nacional de Parteiras Tradicionais da Rede Unida, que aconteceu no último dia 29 de outubro. Promovido pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o evento contou com o apoio de diversas instituições pelo Brasil, incluindo o Instituto Mamirauá.
Foram cerca de quatro horas de interação entre 30 parteiras de quatro associações e instituições apoiadoras dos estados do Amazonas, Amapá, Acre e Pernambuco. A principal pauta do Encontro foi a atuação de cada instituição em seu território, as conquistas já realizadas, parcerias e como tem sido a atuação das parteiras durante a pandemia da Covid-19.
O diálogo resultou na criação de uma carta com demandas que serão encaminhadas aos órgãos componentes às Secretarias Municipais de Saúde, Secretarias Estaduais de Saúde, deputados e vereadores, gestores de instituições, com proposições para a realização de seus trabalhos.
O diálogo entre as instituições resultou na criação de uma carta com demandas que serão encaminhadas aos órgãos componentes. Dentre as solicitações estão a entrega de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para as parteiras tradicionais que atuam nas comunidades ribeirinhas e rurais da Amazônia e do país, principalmente no período da pandemia, a reposição dos materiais utilizados pelas parteiras nos partos e o apoio na realização de novas oficinas de troca de saberes.
As participantes ainda solicitaram a implantação das casas de parto nos municípios que contam com esse serviço, o apoio ao registro do ofício de parteira, para torná-la patrimônio histórico imaterial do Brasil, a criação de leis estaduais que permitam a entrada das parteiras nas maternidades e que promovam a sua integração nos serviços de saúde, a divulgação das atividades para a sociedade e a sensibilização de gestores públicos e que, durante a pandemia, haja promoção do fortalecimento do parto domiciliar assistido por parteiras.

Importância do Encontro

Para a engenheira ambiental Maria Cecilia Rosinski Lima Gomes, coordenadora do Programa Qualidade de Vida do Instituto Mamirauá desde 2011, o evento foi uma grande oportunidade de interação entre instituições parceiras e parteiras de diversas regiões do país.
“A relevância deste encontro está na possibilidade de troca de experiências entre diferentes organizações de parteiras do país, principalmente a respeito das conquistas políticas obtidas por elas, como a implementação de um Museu da Parteira (Pernambuco) e a integração entre parteira e profissionais da saúde indígena (Amazonas).  Além disso, neste momento difícil para a saúde pública, a atuação da parteira foi fundamental para a continuidade da assistência ao parto domiciliar, quando as gestantes não estavam acessando os hospitais e maternidades devido a pandemia”, afirmou Maria Cecília Gomes.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Próximos passos

Os participantes do Amazonas irão implementar o projeto recém aprovado "A inserção das parteiras tradicionais na atenção à saúde da mulher gestante na Atenção Básica em áreas ribeirinhas do Estado do Amazonas", coordenado pelo Dr. Júlio Cesar Schweickardt. O projeto trata da integração das parteiras no serviço público de saúde e faz parte do Programa Inova Fiocruz 2020.
O Instituto Mamirauá, organização social vinculada ao Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), possui um Acordo de Cooperação com o ILMD-Fiocruz Amazônia para a realização de atividades na área de saúde comunitária, com foco em saberes e práticas tradicionais de saúde. No centro do estado do Amazonas, o instituto realiza capacitações para parteiras tradicionais desde os anos 2000, alcançando municípios como Alvarães, Tefé, Uarini e Maraã.
O próximo passo será o esforço para encaminhamento da carta com as demandas das parteiras.

Presença no evento

Participaram do III Encontro Nacional de Parteiras Tradicionais da Rede Unida a Associação das Parteiras Tradicionais do Estado do Amazonas – Algodão Roxo – APTAM; Associação das Mulheres Agroextrativistas do Médio Juruá, Amazonas -ASMAMJ; Rede das Parteiras Tradicionais do Estado do Amapá; Instituto Mulheres da Amazônia – IMA, e Museu da Parteira-PE.
A Amazônia e o Nordeste foram representados pelas cidades de: Tabatinga, Parintins, Carauari, Tefé, Manaus, Itacoatiara, no estado do Amazonas; Jaboatão dos Guararapes, Caruaru, Jatobá, em Pernambuco; Macapá, no Amapá; e Marechal Thaumaturgo e Rio Branco, estado do Acre.
Marcaram presença também as instituições Grupo Curumim – PE, Instituto Mamirauá – AM; Alunos de Pós-graduação da FIOCRUZ – AM, Programa de Pós-graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas/PPGICH/UEA, e pesquisadores, professores e apoiadores das parteiras tradicionais em diversos lugares do Brasil.
Para mais informações, entre em contato com: ascom@mamiraua.org.br

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: