Em sua 15ª edição, encontro de manejadores enfatiza melhoria na comercialização de madeira manejada

Publicado em: 18 de fevereiro de 2016

                Manejadores da Reserva Mamirauá e técnicos do Instituto Mamirauá realizaram ontem, dia 17 de fevereiro, a 15ª edição do Encontro de Manejadores Florestais. O evento foi realizado em Tefé (AM) e teve por objetivo analisar os resultados do processo de extração de madeira manejada na unidade de conservação, no último ano. Ao longo do dia, o Instituto Mamirauá, unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, apresentou os projetos de pesquisa e de educação ambiental desenvolvidos na reserva e financiados pelo Fundo Amazônia, gerido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).
 
                Durante o encontro, também foram apresentados os resultados de um intercâmbio promovido entre o Instituto Mamirauá e o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), manejadores e compradores de madeira em Manacapuru. Dois técnicos do Instituto Mamirauá e três manejadores florestais da Reserva Mamirauá participaram estiveram no município entre os dias 11 e 12 de fevereiro. "A finalidade do intercâmbio foi ir ao encontro de compradores, com apoio do Idam para fortalecer o manejo florestal como política pública", disse Elenice Assis, Coordenadora do Programa de Manejo Florestal do Instituto Mamirauá.
 
                Segundo Elenice, foi feita uma apresentação da reserva, suas áreas de manejo e o potencial máximo e mínimo de exploração que poderia abastecer o mercado de Manacapuru por um mês. "A alta demanda por madeira no município pode nos dar a visibilidade necessária para renovar o manejo florestal comunitário no estado. O momento é favorável para propor um acordo entre empresas e associações", afirmou.
 
                Os manejadores foram receptivos ao acordo, pensando na valorização da venda e uma forma diferenciada de pagamento da madeira, que foi uma solicitação dos compradores. Foi o que reforçou um dos participantes do intercâmbio, Joanias da Silva: "Eu achei que a viagem foi muito importante para conhecer esses novos compradores. A gente ganhou conhecimento com eles e foi bom para dar continuidade ao manejo".
 
O Cantinho da Ciência
                Logo no início da manhã, o educador ambiental do Instituto Mamirauá, Claudioney Guimarães, apresentou o projeto "Cantinho da Ciência". Um espaço onde professores de escolas das Reservas Mamirauá e Amanã desenvolvem atividades práticas sobre meio ambiente. Esses profissionais são assessorados e capacitados pela equipe de Educação Ambiental, com o apoio de comunitários e manejadores florestais. "O cantinho não é só um viveiro, mas um espaço de interação e educação ambiental", disse o educador ambiental. Neste ano, a equipe irá executar a continuidade das ações nos quatro viveiros implementados por meio do monitoramento, bem como a produção de materiais didáticos para professores e estudantes.
 
Texto: Eunice Venturi

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: