Em conferência online, pesquisadores do Instituto Mamirauá palestram sobre monitoramento e conservação na Amazônia

Publicado em: 29 de novembro de 2017

Palestra foi transmitida da sede do Instituto Mamirauá, em Tefé, para público da Universidade Federal de Alfenas, Minas Gerais

Os pesquisadores Lísley Lemos e Caetano Franco foram os convidados especiais de uma webconferência para a Universidade Federal de Alfenas, Minas Gerais. Com o tema "Monitoramento e conservação de recursos naturais: experiências de pesquisa e gestão participativas na Amazônia”, a palestra foi dividida em dois dias, 28 e 29 de novembro, e transmitida diretamente da sede do Instituto Mamirauá, na cidade amazonense de Tefé, para o público do Instituto de Ciências da Natureza da universidade.

A conferência mostrou um panorama sobre monitoramento e conservação de recursos naturais, experiências de pesquisa e gestão participativa, trabalho realizado há quase duas década pelo Instituto Mamirauá na Amazônia. “A princípio, apresentamos o histórico de formação do instituto e das Reservas de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá e Amanã, onde os projetos têm sido realizados mais intensamente”, explica Caetano Franco, que é pesquisador e bolsista do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Uma das diretrizes da palestra foi sobre modelos de gestão territorial e traçar um comparativo entre unidades de desenvolvimento sustentável, como Mamirauá e Amanã, e áreas de proteção integral. “Ressaltei as experiências de gestão compartilhada em reservas de uso sustentável e também sobre sistemas participativos de monitoramento desses territórios”, conta o geógrafo do Instituto Mamirauá, unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

No segundo dia de conferência, a pesquisadora Lísley Lemos, especialista em primatas e membro do Grupo de Pesquisa de Ecologia de Vertebrados Terrestres (Ecovert) do instituto, apresentou dados do Sistema de Monitoramento de Fauna (SMUF). Implementado há 15 anos pelo Instituto Mamirauá na Reserva Amanã, o sistema consiste na coleta contínua de informações sobre eventos de caça e de material biológico em cinco comunidades rurais na reserva.

O debate foi gratuito e aberto à comunidade. A direção do Instituto de Ciências da Natureza da UNIFAL planeja organizar outras edições de webconferências, convidando o Instituto Mamirauá a palestrar sobre temas de conservação e pesquisa na Amazônia.

Texto: João Cunha

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: