Dia Mundial das Áreas Úmidas é comemorado na Reserva Mamirauá

Publicado em:  3 de fevereiro de 2015

No dia 02 de fevereiro, dia em que se comemora o Dia Mundial das Áreas Úmidas, os jovens comunidade Boca do Mamirauá, na Reserva Mamirauá, participaram de uma atividade diferenciada. A comunidade foi escolhida pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) para as comemorações desse dia, com a realização de uma oficina de “educomunicação”.

A Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá é uma das doze áreas úmidas que fazem parte da lista de Sítios Ramsar. Durante o evento, Raimundo Ribeiro Romaine, gestor da Reserva Mamirauá, falou sobre o papel dos comunitários para a preservação dessa área. Atualmente, a Reserva possui mais de 11 mil habitantes em comunidades ao longo dos 1.124.000 hectares. “A importância das unidades de conservação não é só para os animais, os rios, as plantas, mas também para as pessoas que contribuem para a gestão dessas áreas. Mamirauá tem uma riqueza enorme de recursos naturais, para preservação e para uso dessas populações”, afirmou Romaine.

O tema escolhido para as comemorações desse ano foi "Áreas úmidas para o nosso futuro: juventude".  De acordo com a coordenadora do Programa de Gestão Comunitária do Instituto Mamirauá, Marluce Mendonça, “foi um dia para desenvolver atividades e disseminar informação sobre essas áreas, sobre a importância delas, quais as suas contribuições para o planeta, por exemplo a redução de CO2”. Ela reforçou ainda a importância da participação dos jovens, possíveis multiplicadores das ações de preservação e na disseminação de informação.

Durante o evento, os jovens participaram de uma oficina de fotografia, e produziram cartas, músicas e notícias que farão parte do conteúdo da Revista Juventude e Meio Ambiente, do MMA. Também foi iniciada a divulgação do Concurso de Fotos para a Juventude sobre as Áreas Úmidas, promovido pela Convenção de Ramsar. Poderão participar jovens entre 15 e 24 anos e as inscrições podem ser feitas no site www.worldwetlandsday.org. O vencedor vai ganhar uma passagem para visitar uma área úmida de sua escolha.

“Gostei muito, porque eu não sabia do conceito realmente, apesar de já ter estudado na escola. Pensava que era uma comunidade, que como as outras também tem sua importância. Mas não imaginava que era importante para o mundo”, disse Helquiane Gomes Rodrigues, 17 anos, moradora da comunidade Boca do Mamirauá, uma das participantes da oficina.

A coordenadora de Juventude do Ministério de Meio Ambiente, Marccella Berte, ministrou as oficinas para os jovens, abordando três pontos principais: a importância das áreas úmidas para o planeta, os riscos da diminuição desses ambientes, e o que pode ser feito para preservá-los. “O Brasil é o segundo país com a maior quantidade de áreas úmidas. São mangues, praias, várzea, vários ambientes. E hoje estamos em Mamirauá, considerada um sítio Ramsar. A Amazônia é muito conhecida por ter um papel importante no equilíbrio do clima. É uma área de grande importância para a conservação da biodiversidade”, reforçou Marccella.

Convenção Ramsar

O Dia Munidial das Áreas Úmidas foi instituído pela Convenção Ramsar. O tratado intergovernamental celebrado no Irã, em 1971, marcou o início das ações nacionais e internacionais para a conservação e o uso sustentável das zonas úmidas e de seus recursos naturais. De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, atualmente, além da Reserva Mamirauá, outras onze Unidades de Conservação brasileiras fazem parte da lista de Sítios Ramsar: as Reservas Particulares do Patrimônio Natural Sesc Pantanal (MT) e Fazenda Rio Negro (MS); as Áreas de Proteção Ambiental (APAs) Reentrâncias Maranhenses (MA) e Baixada Maranhense (MA); os Parques Nacionais do Araguaia – Ilha do Bananal (TO), do Pantanal Mato-Grossense (MT), da Lagoa do Peixe (RS), Marinho dos Abrolhos (BA), do Cabo Orange (AP); e os parques estaduais Marinho do Parcel de Manuel Luís (MA) e do Rio Doce (MG).

 

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: