Curso promovido pelo Instituto Mamirauá capacita novos pesquisadores

Publicado em:  6 de agosto de 2013

Pesquisadores do Instituto Mamirauá promoveram o curso “Estratégias e Técnicas de Estudo para Conservação de Vertebrados Aquáticos Amazônicos”, em julho. A iniciativa é do projeto Aquavert, desenvolvido pelo Instituto Mamirauá, com patrocínio da Petrobras, por meio do Programa Petrobras Ambiental. Participaram do curso estudantes da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), bolsistas do Instituto Piagaçu-Purus e do Instituto Mamirauá. O curso surgiu como uma oportunidade para fornecer ferramentas complementares na formação dos novos pesquisadores, conforme explicou Robinson Botero-Arias, pesquisador do Instituto Mamirauá e membro da coordenação do curso: “Com ele pudemos afinar estratégias e ações em prol da pesquisa e conservação dos vertebrados aquáticos”.

Os nove dias do encontro, realizados entre 8 e 16 de julho, foram divididos em dois componentes: entre 08 e 10 de julho, os estudantes participaram da explanação da teoria, na cidade de Tefé (AM). “Nessa fase abordamos técnicas em Saúde e Conservação de Fauna, como princípios, ética de captura, imobilização, marcação, contenção e manipulação de animais em vida livre, além de princípios básicos de avaliação física e de estado de saúde dos animais, coleta e armazenamento de amostras biológicas, de acordo com o os objetivos da pesquisa, conceitos e fundamentos de um laboratório clínico e parasitológico básico, além de análise patológica básica”, disse Botero-Arias.

Após esse período inicial, o grupo partiu para as Reservas de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá e Amanã, colocando em prática o que haviam discutido inicialmente. “O segundo componente foi desenvolvido no campo, com técnicas de monitoramento populacional e estratégias de conservação dos vertebrados aquáticos amazônicos”, completa o pesquisador. Ainda foram abordados aspectos técnicos de captura, imobilização, marcação, contenção e manipulação de vertebrados aquáticos (jacarés, quelônios e mamíferos aquáticos) e procedimentos para a coleta e armazenamento de amostras biológicas.

Alvo na formação

O evento foi direcionado a estudantes universitários do último ano de biologia e áreas afins, técnicos e profissionais de áreas ambientais que desenvolvam suas atividades no campo da conservação da biodiversidade. “Tivemos grande aceitação dos estudantes - até porque a maioria deles já desenvolve atividades de pesquisa sobre vertebrados aquáticos ou estão se preparando para iniciar uma pós-graduação nessa área”, revela o pesquisador. O curso permitiu nivelar os conceitos básicos de estratégias de conservação e discutir a conservação dos animais que são alvo do trabalho do Instituto Mamirauá: mamíferos aquáticos, jacarés e quelônios.

A organização do curso, além de Botero-Arias, contou com a coordenação de Dra. Miriam Marmontel (Líder do Grupo de Pesquisa em Mamíferos Aquáticos Amazônicos do Instituto Mamirauá), Dr. Paulo Rogério Mangini (pesquisador do Instituto Brasileiro para Medicina da Conservação - Tríade) e Dra. Camila Ferrara (pesquisadora da Wildlife Conservation Society - WCS Brasil). Os resultados foram satisfatórios e a coordenação já pensa em transformar o curso em uma atividade anual do Projeto Aquavert.

Texto: Lilian Wiczneski

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: