Com inscrições abertas, cursos fortalecem energia solar e agricultura familiar

Publicado em: 12 de fevereiro de 2016

O Instituto Mamirauá, unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, inicia na próxima semana inscrições para dois cursos voltados para o uso de energia solar em rádios comunitárias e a formação de promotores populares de educação ambiental para a Agricultura Familiar. Os cursos são voltados para a população de Tefé e iniciam em março.
 
O curso “Energia Solar nas Ondas do Rádio”, patrocinado pela Petrobras e realizado pelo Instituto Mamirauá, tem o objetivo de aliar as tecnologias do sistema fotovoltaico e as de radiodifusão comunitária em sistemas de alto falante, proporcionando aos jovens conhecimento, qualificação e certificação por instituição de ensino profissional. 
 
Os candidatos devem ter entre 18 e 29 anos, ensino médio completo e residir no município de Tefé (AM), e apresentar documento de identificação no ato da inscrição. Nesta etapa, os cursos serão voltados para a área rural do município e as inscrições ocorrem nos seguintes locais e datas: 
- Agrovila: 16 e 17 de fevereiro de 2016
- Missão: 18 e 19 de fevereiro de 2016
- Comunidade Bom Jesus: 18 e 19 de fevereiro de 2016
 
O curso é dividido em três módulos: o primeiro é "Sistema de energia solar fotovoltaica" com duração de 60 horas. Em seguida, "Sistema de radiodifusão comunitária", de 30 horas. O último "Programação e produção de conteúdos para radiodifusão comunitária", de 20 horas, totalizando as 110 horas propostas pelo projeto.
 
Promotores Populares de Educação Ambiental para a Agricultura Familiar
Com o objetivo de formar agentes populares capazes de identificar e refletir de forma crítica as questões socioambientais em seu território, o Ministério do Meio Ambiente seleciona instituições pelo país para promover o curso de Promotores Populares de Educação Ambiental para a Agricultura Familiar. A primeira turma de Tefé será promovida pelo Instituto Mamirauá, selecionado pelo edital.

Serão selecionados entre 35 e 40 pessoas, de todas as idades, sendo que pelo menos 50% devem ser de agricultores ou jovens agricultores familiares. A modalidade do curso será semi-presencial através de ambiente virtual de aprendizagem com possibilidade de realizar visitas técnicas, aulas teóricas, oficinas e atividades práticas de agroecossistemas.
 
A duração do curso será de 05 a 06 meses e as inscrições deverão ocorrer até o dia 1º de março, na sede do Instituto Mamirauá, com Sandro Augusto Regatieri, de segunda a sexta, das 8h às 18h. Mais informações pelo e-mail sandro@mamiraua.org.br ou pelo telefone (97) 3343-9732. O curso é gratuito e a previsão é que o início das aulas ocorra na segunda quinzena de março. 
 
Confira, abaixo, o público-alvo do curso: 
- Agricultores, agricultoras e jovens agricultores(as) familiares;
- Assentados e acampados da reforma agrária;
- Povos e comunidades tradicionais;
Esses três primeiros itens têm que compor no mínimo 50% da turma (podem ser filhos de agricultores familiares).
- Agentes de Assistência Técnica e Extensão Rural;
- Agentes públicos das áreas de educação, meio ambiente, agricultura e desenvolvimento rural;
- Agentes envolvidos nos Programas de Regularização Ambiental;
- Membros de sindicatos, cooperativas, organizações e movimentos sociais do campo;
- Membros de conselhos, comissões e colegiados públicos que atuam com educação ambiental e agricultura familiar;
- Professores e estudantes de instituições públicas de ensino superior e da educação básica, assim como grupos de aprendizagem, pesquisa e extensão;
 
Principais requisitos de seleção:
- Disponibilidade de horário para as atividades presenciais (no mínimo duas durante o curso - obrigatórias);
- Disponibilidade para os estudos dos materiais oferecidos (on-line, digital ou apostilas).
 
Edição: Eunice Venturi

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu email: