Instituto Mamirauá realiza certificação de contadores de pirarucu

Publicado em: 21 de outubro de 2019

A atividade aprovou sete novos contadores certificados, aptos a realizarem a contagem para o manejo sustentável do pirarucu

O manejo de pirarucu, atividade que garante renda para centenas de famílias na Amazônia, só é possível graças a um profissional: o contador de pirarucu. A prática, fundamental para que se defina uma cota segura para o abate do animal nos ambientes de manejo, une o conhecimento tradicional, transmitido por gerações, e a ciência que valida o método.

Um contador de pirarucu é capaz de estimar a população da espécie em um ambiente apenas por meio da observação. Isso é possível porque, devido a suas características biológicas, o peixe sobe à superfície para respirar. É nesse momento que o contador experiente percebe a presença do pirarucu e pode afirmar se o indivíduo é um filhote ou um adulto.

No início do mês de outubro, técnicos do Instituto Mamirauá realizaram a edição deste ano da Certificação de Contadores de Pirarucu na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá. Além dos técnicos do instituto, o curso envolveu 18 alunos de diferentes partes da Amazônia que realizam o manejo e contadores experientes que trabalharam como instrutores.

O contador de pirarucu

Fruto de uma aliança bem-sucedida entre a ciência e o conhecimento tradicional de pescadores ribeirinhos, a metodologia de contagem de pirarucu é uma ferramenta importante para a manutenção do manejo de forma segura para os estoques naturais da espécie. 

A prática, porém, já existe há muito tempo e é transmitida há muitas gerações. Quando os primeiros pesquisadores chegaram à reserva com o objetivo de estimar a população de pirarucus no local, se depararam com o desafio de desenvolver um método para tanto.

Depois de muitas experiências, o pescador Jorge de Souza Carvalho revelou aos pesquisadores que ele, assim como outros pescadores experientes, já conhecia uma forma de determinar a população de pirarucus em um ambiente apenas pela observação.

O método ensinado por Jorge foi testado e descrito pela ciência, tendo também como base estudos sobre a ecologia e biologia do pirarucu. Desde então, a contagem de pirarucu é utilizada como forma de estimar a sua população em áreas de manejo para que se possa estabelecer uma cota de até 30% dos peixes adultos para o abate.

A certificação

“A certificação de contadores de pirarucu é o último grau na escala de treinamento de um contador de pirarucu, como se fosse o ensino superior”, afirma Jovane Cavalvante, técnico em manejo de pesca do Programa de Manejo de Pesca do Instituto Mamirauá, organização social fomentada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

Segundo o técnico, antes de passar pela certificação, o contador aprende a “arte de contar pirarucu” de seus pais e avós. Quando esse contador já tem uma aceitação dentro de seu grupo de manejo, ele é convidado a participar do Curso de Metodologia de Contagem de Pirarucu.

Os alunos recebem aulas teóricas e práticas de contadores experientes e os que são aprovados nessa fase estão aptos a participar da certificação. A certificação de contadores consiste no levantamento visual da população de pirarucus em três ambientes diferentes: um lago mais profundo, um de profundidade média e um mais raso.

“São três lagos que a gente escolhe, determina-se um dia para cada lago e outros três dias para fazer o arrasto. O parâmetro avaliativo é o arrasto que vai dizer quantos pirarucus tem nas áreas”, explica Jovane.

O arrasto consiste na captura de todos os pirarucus de um ambiente para avaliar os resultados obtidos pelas contagens dos alunos. Aqueles que contaram um número de peixes próximo ao real, com uma margem de erro de até 30% para mais ou para menos, são aprovados e se tornam contadores certificados de pirarucu. 

Neste ano, 18 alunos participaram da certificação, que aprovou 7 novos contadores certificados de pirarucu. “É um curso que requer muito da aprendizagem do aluno, ele tem que dominar mesmo a técnica de contagem de pirarucu, por isso só passam os mais capacitados. Os que não passam são convidados novamente, em uma outra oportunidade, a virem fazer a certificação”, acrescenta o técnico. 

Já passaram pelo treinamento aproximadamente 180 contadores, dos quais cerca de 100 foram aprovados. 

“Um contador certificado é alguém que domina de fato a arte de contar pirarucu. Nem todo pescador pode ser um contador de pirarucu, ele precisa conhecer os hábitos e o comportamento do pirarucu, ele de fato estuda o peixe. Cada área tem o seu grupo de contadores certificados para garantir a qualidade e a veracidade das informações.”

Texto: Bernardo Oliveira


Bernardo Oliveira
Bernardo Oliveira
Bernardo Oliveira
Bernardo Oliveira
Bernardo Oliveira

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: