Campanha do Greenpeace destaca tecnologias sociais do Instituto Mamirauá

Publicado em: 15 de Janeiro de 2016

Com o objetivo de retratar histórias que estão mudando a vida das pessoas a partir do uso de energia solar, o Greenpeace Brasil lançou esta semana a campanha "Sol - de norte a sul". Trata-se de um webdocumentário disponível na internet (www.soldenorteasul.org.br) que apresenta os benefícios e as barreiras para que placas solares ganhem escala no Brasil. Além disso, apresenta cinco iniciativas transformadoras com o uso de energia solar. Na campanha, duas iniciativas do Instituto Mamirauá são retratadas: o Sistema de Abastecimento de Água e a Máquina de Gelo Solar.

A máquina de gelo é uma iniciativa do Instituto Mamirauá e do Instituto de Energia e Ambiente da Universidade de São Paulo, financiada pelo Desafio de Impacto Social Google | Brasil. Os equipamentos funcionam a partir da captação de energia solar, sendo uma tecnologia inovadora para conservar alimentos em comunidades isoladas da Amazônia. Desde agosto de 2015, o Instituto Mamirauá vem testando e aperfeiçoando três máquinas de gelo, instaladas na Vila Nova do Amanã, município de Maraã (AM), e uma na Pousada Flutuante Uacari. Estima-se que cada máquina tenha capacidade diária para produzir cerca de 30 quilos de gelo.

O sistema de abastecimento de água consiste em painéis fotovoltaicos colocados sobre o rio em balsas flutuantes, bombeando a água para um reservatório elevado. A caixa d’água é conectada a um filtro de areia, para pré-tratamento da água e remoção de resíduos. Após a filtração, parte da água é distribuída por gravidade para a comunidade com um ponto de fornecimento em cada domicílio. Entre outros benefícios, o sistema diminuiu o risco das crianças pequenas se afogarem na beira do rio. 

As gravações ocorreram em novembro, na Reserva Amanã, e duraram dois dias, com uma equipe de quatro pessoas do Greenpeace. 
 
Sobre a campanha
O webdocumentário está dividido em quatro seções. Uma mostra quais são benefícios sociais que a energia solar traz ao País. Além de gerar empregos, as histórias mostradas ali contam como brasileiros passaram a ter água limpa, salas de aula mais adequadas e contas de luz mais baixas. A segunda parte é dedicada aos entraves que não permitem a ampla disseminação dessa fonte limpa de energia, como o excesso de tributos que encarecem os sistemas. Hoje, apenas 0,02% da eletricidade do Brasil vem de placas fotovoltaicas. Em seguida, conhecemos quatro histórias de brasileiros que, mesmo com todos os empecilhos, apostam na energia do sol.

A quarta e última seção da plataforma traz um mapa do mundo para que os internautas insiram iniciativas ligadas à energia solar que conhecem. Esse mapa será, em breve, um amplo panorama de como a energia solar está  ganhando espaço no Brasil e no mundo. “As histórias contadas aqui são só alguns exemplos dos muitos benefícios da energia solar. Mas apenas três em cada dez brasileiros sabem que podem gerar sua própria energia. Com esse webdoc, esperamos contribuir para que esse número cresça. E queremos chegar a 1 milhão de casas com telhados solares num futuro próximo no Brasil”, diz Bárbara Rubim, da Campanha de Clima e Energia do Greenpeace Brasil.
 
Por Eunice Venturi, com informações do Greenpeace Brasil. 
 

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: