Bolsistas do Programa de Iniciação Científica Jr apresentam relatórios finais

Publicado em: 21 de setembro de 2012

 

19/09/2012 – “Saio daqui com um conhecimento incrível”, disse Anderlã Pinheiro ao apresentar os resultados de sua pesquisa “Noções básicas de taxonomia e conservação de material botânico”, na terça, dia 18, durante o Seminário Final Pibic Jr. A pesquisa teve por objetivo reunir informações para criação da coleção botânica do Instituto Mamirauá, a partir de coletas realizadas na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, pelos pesquisadores do Grupo de Pesquisa em Ecologia Florestal do Instituto Mamirauá. 
 
Anderlã estuda no Centro Educacional Governador Gilberto Mestrinho, em Tefé (AM). O estudante iniciou a bolsa do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica Júnior (IDSM/FAPEAM) em setembro de 2011. Ao longo de 12 meses, fez um levantamento bibliográfico para analisar as amostras de plantas organizando-as de acordo com normas de herbário, classificando-as por família e de acordo com o sistema reprodutivo. 
 
Para este estudo, foram coletadas 302 amostras de espécies, abrangendo 29 famílias botânicas. Cada amostra teve seu nome científico identificado, bem como a família, nome comum, localidade, habitat, flor, fruto, coletor e data. Segundo Anderlã, a maioria das amostras pôde ser aproveitada para o acervo. “Uma das causas foi que as coletas foram realizadas em um único período, reduzindo a chance de encontrar muitas plantas em fase reprodutiva”, conclui. 
 
Das seis pesquisas apresentadas, quatro são da área social. Emesson Rodrigues da Silva, da Escola Estadual Deputado Armando de Souza Mendes, desenvolveu um estudo sobre “Levantamentos bibliográficos das pesquisas socioeconômicas produzidas pelo Instituto Mamirauá”. Emesson acompanhou cronologicamente o desenvolvimento dessas pesquisas, utilizando o recurso da linha do tempo, o que permitiu a ele compreender o trabalho do Instituto Mamirauá e as mudanças na vida das populações ribeirinhas. 
 
A aluna do Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), Jakeline Rabelo, estudou sobre a formação e a organização social e política das comunidades da Reserva Mamirauá. “Eu pesquisei sobre as associações que existem nas reservas e os prefeitos que realizaram seus registros. Das 31 comunidades estudadas, eu também estudei sobre os festejos religiosos. Em aproximadamente 30% delas o aniversário da igreja é a principal comemoração para os evangélicos”, avaliou Jakeline que teve no livro Memórias de Mamirauá, de Edna Alencar, uma das fontes de consulta para efeito de comparação que lhe permitiu analisar a dinâmica social das comunidades. Outra fonte de consulta foi o Censo Demográfico da Reserva Mamirauá, realizado em 2011 pelo Instituto Mamirauá. 
 
Texto: Eunice Venturi

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: