Bolsista do Programa Pibic Sr analisa economia de água nos laboratórios no Instituto Mamirauá

Publicado em:  5 de março de 2012

Bolsistas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica Sênior do Instituto Mamirauá apresentaram relatórios parciais durante o seminário de avaliação que ocorreu entre os dias 27 e 28 de fevereiro, em Tefé (AM). Uma das pesquisas apresentadas envolve reutilização da água. Desde outubro de 2011, pesquisadores estão desenvolvendo uma forma de reaproveitar a água que é utilizada nos laboratórios da instituição.

Para a orientadora da pesquisa, a engenheira ambiental Maria Cecília Gomes, o principal benefício do trabalho é a redução do consumo de água no centro de pesquisa. A ideia do tema surgiu da constatação de que o próprio laboratório onde o projeto é realizado – o Laboratório de Qualidade da Água e Meio Ambiente – consome até 83,3% de toda água utilizada nos laboratórios do instituto. Na coleta de dados, feita com aplicação de questionários, foi constatado que a atividade em que mais se utiliza água é a destilação, processo para purificação do líquido. No instituto há dois destiladores e, segundo o trabalho, para cada dez segundos de funcionamento de um destilador, mais de um litro de água é descartado e, depois, despejado na rede de esgoto.

De acordo com o bolsista Cássio Oliveira, aluno do último ano de licenciatura em química da Universidade do Estado do Amazonas e responsável pela pesquisa por meio do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica Sênior (PIBIC - Sr), os dois destiladores que a instituição possui já consumiram mais de 8 mil litros desde o início da pesquisa. A pesquisa é financiada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Para reaproveitar a quantidade que normalmente é descartada, uma das melhorias sugeridas é utilizar a água restante da destilação para outros fins, como nos Laboratórios de Vertebrados Terrestres e Mamíferos Aquáticos, que utilizam água para lavagem de material biológico de animais, segunda atividade que mais consome o líquido nos laboratórios.

“A água que sobra da destilação pode ser utilizada nesse mesmo processo pela recirculação do líquido no destilador ou até para outros fins, pois a água que é descartada está dentro dos padrões de potabilidade estabelecidos pela Portaria Nº 2.914/2011, do Ministério da Saúde”, explica Cássio. Após a finalização da primeira etapa da pesquisa, a coleta de dados, os próximos passos são indicar outras formas de reutilização da água de forma sustentável nos laboratórios e saber quanto o Instituto Mamirauá poderá economizar com o reuso.

Texto: Paula Costa

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: