Artigo científico de pesquisadores do Instituto Mamirauá vence prêmio internacional

Publicado em: 14 de abril de 2016

Um artigo publicado por pesquisadores do Instituto Mamirauá, unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, venceu o prêmio da revista científica internacional Ecology & Society. O anúncio do “Best Paper of Ecology and Society Award - 2015” foi publicado no último mês, no site da revista. O trabalho traz os resultados da pesquisa que avaliou a veiculação de atividades de caça esportiva de mamíferos no Brasil, a partir de vídeos no site Youtube.

Anualmente, o prêmio concedido pela publicação, que é considerada uma das principais revistas científicas do mundo, escolhe o trabalho com melhor qualidade e impacto na área da sustentabilidade. É a primeira vez que pesquisadores brasileiros são honrados com a premiação oferecida desde 2004. No anúncio da premiação, os organizadores definiram o artigo como a melhor publicação científica de 2015, por “integrar diferentes correntes da ciência para avaliar questões fundamentais nas bases ecológicas, políticas e sociais para os sistemas sócio ecológicos sustentáveis”.

O artigo foi publicado em uma edição especial sobre caça e sustentabilidade na região tropical. “A revista é uma referência mundial na área de sustentabilidade. O trabalho foi selecionado entre mais de 200 artigos publicados no ano de 2015 na revista Ecology and Society. É uma honra receber um prêmio de tão alta importância na ciência”, disse Hani Bizri, um dos pesquisadores e autores do estudo.

O artigo, intitulado “The thrill of the chase: uncovering illegal sport hunting in Brazil through YouTube posts”, traz os resultados de uma pesquisa científica realizada desde 2014 no Instituto Mamirauá., que iniciou como um projeto do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic). “O trabalho contribuiu para aumentar meu interesse na pesquisa científica sobre o uso e conservação de fauna cinegética. Temos algumas ideias com relação aos resultados do projeto. Esperamos fazer o estudo de uso de técnicas e de instrumentos de caça futuramente”, disse Jéssica Lima, que foi bolsista Pibic do projeto e atualmente é bolsista do Programa de Capacitação Institucional (PCI) no Instituto.

Hani destacou que o reconhecimento corrobora a importância de trazer o tema para discussão. “A edição especial, na qual nosso artigo foi publicado, abordou os desafios de se estudar a caça e desenvolver planos que garantam a sustentabilidade e segurança alimentar na região tropical, reunindo diversas pesquisas desenvolvidas na América do Sul, África e Ásia. Portanto, este prêmio não é só nosso, ele está representando um conjunto de grandes e empenhados pesquisadores que, como nós, dedicam suas carreiras por esta causa”, afirmou.

Os autores do artigo reforçam que os resultados da pesquisa demonstram que são necessárias ações do Governo para aumentar a vigilância ou legalizar programas de caça esportiva no Brasil. Essas ações poderiam contribuir para decisões políticas eficazes para a conservação da vida silvestre no país e iniciativas de uso sustentável.

Foram avaliados 383 vídeos, com mais de 15 milhões de visualizações no total. A análise indicou que os caçadores esportivos brasileiros são residentes urbanos, possivelmente de bom poder aquisitivo. Entre os animais contemplados na pesquisa estavam anta, paca, tatu, queixada, caititu, veado e cutia.

Além de Hani e Jéssica, também assinam o artigo científico, como pesquisadores do Instituto Mamirauá, Thaís Morcatty e João Valsecchi. A pesquisa contou com apoio financeiro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), para o pagamento de bolsas de estudo.

Texto: Amanda Lelis

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: