Abertas as inscrições para curso de certificação em contagem de pirarucus

Publicado em: 21 de setembro de 2018

Pescadores experientes e que já tenham sido treinados na aplicação do método de contagem de pirarucus podem participar. As inscrições vão até o dia 05 de outubro

Para fazer a pesca sustentável do pirarucu, a cada ano é necessária a contagem de quantos peixes existem no lago. O resultado dessa conta define a quota, que é o número de pirarucus a serem pescados por temporada. E não existe contagem sem um bom pescador e pescadora treinados na técnica. Para isso, o Instituto Mamirauá oferece a “Certificação de Contadores de Pirarucu”, cuja edição 2018 está com inscrições abertas. Interessados em participar da certificação podem se inscrever até o próximo dia 05 de outubro. Acesse aqui e confira o edital, disponível no site do instituto (www.mamiraua.org.br)

“O treinamento é voltado exclusivamente para pescadores que já atuam como contadores e que foram aprovados no curso de aplicação da metodologia de contagem de pirarucu” informa a equipe do Programa de Manejo de Pesca (PMP) do Instituto Mamirauá, unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

A “Certificação de Contadores de Pirarucu” vai acontecer de 22 de outubro a 01 de novembro de 2018 na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, estado do Amazonas. A ação é financiada pela Fundação Gordon and Betty Moore.

Como funciona a certificação

A certificação é um teste que avalia se os pescadores são capazes de realizar a contagem de pirarucus com qualidade. É a avaliação prática da habilidade do pescador em contar o peixe em lagos fechados. A contagem é feita visualmente por pescadores, no momento que o pirarucu sobe à superfície para “respirar”, momento conhecido como “boiada”.

Ao final da contagem, é feita a captura de todos os pirarucus do lago, usando uma rede de arrasto, e a somatória. Comparando o número real com o que foi contado por cada participante, é feita avaliação. As pescadoras e pescadores que tiverem uma margem de erro abaixo de 30% são aprovados na certificação.

Com base nos dados fornecidos na contagem, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) estabelece a quota anual de pesca de pirarucus para o manejo, que é 30% do total de peixes contados.

Texto: João Cunha

 

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu e-mail: