Monitoramento

Rastreamento de Jacarés

O sistema de rastreamento de Jacarés fornece informações básicas associadas aos animais comercializados nas atividades de Abate de jacarés ocorrida em dezembro de 2008 no setor Jarauá da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá. Esta atividade é parte do Projeto Piloto para o Manejo de Jacarés na Reserva Mamirauá, coordenado pelo Governo do Estado de Amazonas com o apoio do IDSM e algumas outras instituições.

Este sistema de rastreamento é uma iniciativa do Instituto Mamirauá – IDSM para fortalecer o processo experimental de manejo de jacarés, especificamente no que se refere ao monitoramento das ações de cada um dos elos da incipiente cadeia produtiva dos produtos de jacarés legalmente manejados.

O desenho deste sistema pretende proporcionar a possibilidade de rastrear os principais produtos, carne e couro, que poderão ser localizados ao longo da cadeia produtiva a qualquer momento. O acompanhamento dos produtos foi iniciado a partir do local de captura e abate de cada um dos animais e pretende-se estendê-lo até o momento do consumo final. Portanto este sistema pode ser considerado como uma alternativa de certificação da origem do produto. Obviamente, o sucesso desse rastreamento dependerá da colaboração e do grau de compromisso dos detentores da custódia dos produtos e dos elos da cadeia de produção, que contribuirão com as informações do estado da comercialização de cada um dos produtos.

O acesso às informações do sistema de rastreamento de Jacarés é simples: o usuário só precisa fornecer o número do lacre formado por sete dígitos. Esse sistema de identificação foi fornecido pelo IDSM, a partir de uma numeração que foi reproduzida em outros lacres, mas de cores diferentes. Deste modo, cada produto oriundo de um único animal recebeu o mesmo número. Os lacres na cor azul foram colocados em cada uma das carcaças. Após a esfola, cada peça de couro recebeu um lacre com o mesmo número, desta vez na cor amarela. O lacre de cor laranja foi utilizado para identificar cabeças. Lacres de cor verde foram utilizados para substituir quaisquer outros da série, que tivessem sido danificados ou extraviados. Os lacres de cor vermelha foram reservados para serem colocados nas caixas de carne já beneficiadas e prontas para a comercialização.

Após fornecer o número do lacre, o usuário poderá visualizar uma imagem de satélite destacando um ponto de referência associado ao local de captura do individuo. Na mesma tela, será possível visualizar informações relativas ao animal (sexo, comprimento, peso, equipe de captura, etc.), ao abate e ao pré-beneficiamento (local, data, hora do abate, tempo de processamento, etc.).

Outra forma de ter acesso à informação é digitando o código de três dígitos do lacre fixado pelo IDAM em cada pele do animal manejado, em cumprimento a uma determinação do IBAMA. Neste caso, o sistema fornecerá informações especificamente sobre a cadeia de produção da pele.

Assim, esperamos fornecer uma ferramenta que fortaleça, de forma transparente e eficaz, as futuras ações associadas ao manejo sustentável de jacarés no estado de Amazonas.

Mais informações sobre o manejo de jacarés na RDS Mamirauá pode ser encontradas no link: https://www.mamiraua.org.br/pt-br/pesquisa-e-monitoramento/5-manejo-de-jacares, ou escrevendo para jacares@mamirua.org.br

Financiadores

Receba as novidade em seu email: