Instituto Mamirauá - Conservação na Amazônia - Programa de Manejo de Agroecossistemas - http://www.mamiraua.org.br/pt-br/manejo-e-desenvolvimento/programa-de-manejo-de-agroecossistemas/

Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá

Manejo e Desenvolvimento

Rafael Forte

Programa de Manejo de Agroecossistemas

Programa de Manejo de Agroecossistemas

A agricultura familiar ocupa um lugar importante na economia doméstica das famílias das reservas Mamirauá e Amanã, e em conjunto com a pesca e o manejo de recursos madeireiros e não madeireiros compõem o leque das principais atividades rurais praticadas por esta população. As múltiplas práticas agrícolas realizadas na região envolvem o uso de diversos recursos naturais dentro dos agroecossistemas, que incluem tanto as áreas agrícolas - roças, capoeiras, sítios, e quintais - como as áreas no seu entorno, por exemplo, as florestas em várias etapas de sucessão e os corpos d´água que participam da troca de elementos da biodiversidade e de nutrientes. Devido à importância econômica da agricultura familiar e seus potenciais impactos ambientais, desde 1994, o Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá vem realizando pesquisas sobre esse tema, além de oferecer assessoria técnica voltada para aumentar a sustentabilidade e produtividade dos sistemas. O trabalho se iniciou com o Núcleo de Agricultura passando a ser realizado em 1999 pelo Programa de Agricultura Familiar (PAF). No final de 2011, o PAF mudou seu nome para ser o presente Programa de Manejo de Agroecossistemas (PMA).

O Programa de Manejo de Agroecossistemas estimula o manejo participativo dos agroecossistemas e trabalha com quatro objetivos principais:

-Estimular a melhoria do manejo dos agroecossistemas, visando o uso sustentável do solo, a redução do desmatamento e o aumento de agrobiodiversidade;
-Estimular a diversificação produtiva como estímulo à segurança alimentar e geração de renda;
-Apoiar a organização dos produtores para a comercialização;
-Estimular a conscientização ambiental e cidadã.
 
Abordagem do Programa de Manejo de Agroecosisstemas:

A abordagem de trabalho do Programa baseia-se na agroecologia que prioriza a manutenção dos recursos naturais do agroecossistema como forma de manter a vitalidade socioeconômica e cultural dos agricultores e suas comunidades. As propostas de intervenções são desenvolvidas de modo a adequar-se à realidade e prioridades dos produtores ribeirinhos. Esse direcionamento ocorre por meio do conhecimento do manejo tradicional, da identificação dos potenciais e limitações dos produtores e seus sistemas e da construção participativa de soluções e experimentações. Para tanto, o PMA promove capacitações e assessoria à atividade como um todo, desde o plantio à comercialização, apoiando o processo de organização comunitária. O PMA também estimula e participa da formação e do fortalecimento de redes de instituições regionais, buscando integrar conhecimentos e ações, divulgando e replicando experiências exitosas.
 
Linhas de atuação


© Jacson Rodrigues

Manejo de pequenos animais de criação: a criação de pequenos animais funciona como complementação econômica e alimentar para as famílias ribeirinhas. O PMA realiza capacitações direcionadas para a melhoria dos cuidados e da produtividade dos sistemas de criação. Alimentação, estrutura, fornecimento de água e manejo sanitário foram os temas identificados, a partir do diagnóstico do manejo tradicional, como as principais fragilidades desses sistemas. O PMA também incentiva e assessora os criadores, experimentadores e empreendedores, acompanha a estruturação de pequenas granjas, promove a vacinação de animais e estimula o uso de chocadeiras para produção de pintos.


© Bárbara Richers

Sistemas Agroflorestais (SAF's): os sistemas agroflorestais são realizados de forma tradicional pelas famílias ribeirinhas e utilizados como complementação econômica e alimentar para as famílias e suas criações. O PMA busca conhecer o manejo tradicional e propor melhorias na sustentabilidade e produtividade desses sistemas. As capacitações agroflorestais têm como objetivo estimular o aperfeiçoamento do manejo dos agroecossistemas, aproveitando as características dos sistemas naturais; buscando compreender, por exemplo, o papel da matéria orgânica, as consequências do uso do fogo e a sua relação com a manutenção e fertilidade dos sistemas produtivos. Além disso, é promovida a experimentação participativa de técnicas diferenciadas de manejo e implantação de sistemas buscando complementar as práticas realizadas tradicionalmente pelos agricultores.

 

Pecuária: a criação familiar de gado bovino e bubalino é uma realidade, especialmente na Reserva Amanã. A fim de acompanhar e assessorar a atividade, o PMA realiza diagnósticos de criadores, rebanho e pastos e sanidade animal. Ademais, capacita para o manejo sanitário, para o controle do rebanho e promove a experimentação pecuária agroecológica dentro das UCs.


© Rinéias Farias

Apoio à organização para comercialização: visa o estímulo para estruturação e fortalecimento de grupos de agricultores das Reservas de Desenvolvimento Sustentável, buscando a melhoria do processo de comercialização de produtos agrícolas. O beneficiamento da produção, a venda na entressafra e a busca de oportunidades de vendas diferenciadas são alguns dos temas discutidos. Além disso, d esde 2009, o PMA participa da organização bianual da Feira Agroecológica de Tefé que é uma oportunidade para produtores venderem diretamente aos consumidores em um espaço diferenciado.

Manejo e criação de abelhas sem ferrão: a promoção do manejo de abelhas sem ferrão (meliponicultura) visa à diversificação produtiva, a segurança alimentar e a conservação de abelhas nativas e seus serviços ecológicos. Através da capacitação, o produtor passa a dominar todas as etapas do manejo, desde a construção de caixas padronizadas, o processo de captura da colmeia e transferência para a caixa até a multiplicação de colmeias e a extração de mel; recebendo também esclarecimentos teóricos sobre a função das abelhas na polinização e produção de frutos. Além das capacitações, o PMA realiza assessorias mensais, intercâmbios e experimentações buscando refinar o manejo conforme a espécie de abelha manejada.

Resultados

Desde as primeiras ações do antigo Núcleo de Agricultura, mais de 600 produtores foram capacitados nas Reservas Mamirauá e Amanã em temas como horticultura, qualidade de farinha, manejo de pragas e doenças, criação de aves, produção de ração, preparo de mudas, criação de abelhas nativas, manejo de sistemas agroflorestais, entre outros.

Alguns resultados conquistados como fruto do trabalho do Programa:

- Articulação de produtores para comercialização;
- Apoio na realização de Feiras Agroecológicas bianuais;
- Melhoria do manejo sanitário de cultivos e criações;
- Introdução e incorporação de novas atividades como complemento de renda doméstica e complementação alimentar;
- Construção e incorporação de práticas de manejo que garantem o uso sustentado dos recursos;
- Estabelecimento de redes com outras organizações da Amazônia.
 

Fonte: Programa de Manejo de Agroecosisstemas

Financiadores