Instituto Mamirauá - Conservação na Amazônia - Onça-pintada é registrada com novo filhote em unidade de conservação na Amazônia - http://www.mamiraua.org.br/pt-br/comunicacao/noticias/2017/6/14/onca-pintada-e-registrada-com-novo-filhote-em-unidade-de-conservacao-na-amazonia/

Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá

Notícias

Rafael Forte

Onça-pintada é registrada com novo filhote em unidade de conservação na Amazônia

14/06/2017

Mãe e filhote, os felinos estavam em cima do tronco de uma árvore caída, na Reserva Mamirauá

João Cunha

A fêmea de onça-pintada batizada de "Fofa" é mãe de um recém-nascido com cerca de dois meses de idade. O fato surpreendeu o Grupo de Felinos do Instituto Mamirauá

O registro aconteceu em maio durante um campo de monitoramento e observação de felinos do Instituto Mamirauá. "Fofa", como a fêmea de onça-pintada é chamada pelos pesquisadores, estava cuidando de um filhote de sexo não-definido. A pesquisadora Wezddy Del Toro estima que a pequena onça deve ter dois meses de vida.

A grande surpresa para Wezddy e os outros membros do Grupo de Pesquisa em Ecologia e Conservação de Felinos da Amazônia é que Fofa concebeu o novo filhote menos de um ano depois do nascimento de suas últimas crias, ocorrido em abril de 2016.

"O que nos impressionou é que a Fofa tenha tido outro filhote em tão pouco tempo. Geralmente as onças fêmeas esperam e acompanham o crescimento de um filhote para acasalar de novo. Esse fato leva a novas perguntas e hipóteses sobre o comportamento das onças-pintadas", diz a pesquisadora.

A gestação de uma onça-pintada dura três meses. O Grupo de Felinos do Instituto Mamirauá calcula que Fofa tenha acasalado com um macho da espécie por volta de dezembro do ano passado. "Nesse período, nossas armadilhas fotográficas instaladas na floresta registraram imagens de Fofa na companhia de outra onça-pintada", conta Wezddy. "A princípio, pensávamos que era o seu filhote anterior, mas pode se tratar de um parceiro sexual".

O registro

O avistamento do fato inédito foi feito em uma floresta inundada na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, estado do Amazonas. A equipe do Instituto Mamirauá, formada pela pesquisadora Wezddy Del Toro e o assistente de pesquisa, Valciney Martins, estava monitorando o sinal de Fofa através de um rádio colar colocado no pescoço do animal.

Porém, o primeiro a ser encontrado foi o filhote recém-nascido de onça-pintada, acomodado em uma árvore de saumameira caída no meio da floresta. Pouco tempo depois, a grande felina foi vista pelos pesquisadores nas proximidades da cria.

Fofa é uma das três onças-pintadas atualmente monitoradas pelo Instituto Mamirauá. Unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, o instituto investiga há mais de uma década o comportamento e usos de habitat de onças-pintadas em florestas de várzea. As pesquisas têm financiamento da Fundação Gordon and Betty Moore.

Texto: João Cunha

Financiadores