Instituto Mamirauá promove Encontro de Comunicadores Populares

Publicado em:17 de julho de 2013

O Instituto Mamirauá promoveu o 5º Encontro de Comunicadores Populares, de 11 a 13 de julho. O evento faz parte do projeto Rede Ribeirinha de Comunicação e foi realizado no Centro de Treinamento Irmão Falco. 35 comunicadores populares participaram do encontro. O objetivo foi de integrar, trocar e aperfeiçoar as técnicas de comunicação no âmbito da rádio, teatro e linguagem cinematográfica com jovens Comunicadores Populares das Reservas Mamirauá, Amanã, Floresta Nacional de Tefé e Reservas Extrativistas do Baixo Juruá e Jutaí.

Durante três dias os comunitários participaram de uma oficina de vídeo, ministrada por Orange Silva, comunicador audiovisual da Associação Fogo Consumidor e Marco Lopes, comunicador audiovisual do Instituto Mamirauá; oficina de rádio, ministrada por Guilherme Gitahy, professor da Universidade do Estado do Amazonas (Campus Tefé) e Lígia Apel, radialista do Instituto Mamirauá e oficina de teatro, ministrada por Sandro Augusto Regatieri, educador ambiental do Instituto Mamirauá, com colaboração de Andreliza Del Grossi e Luzivaldo Júnior, biólogos do Projeto Aquavert do Instituto Mamirauá.

Na oficina de vídeo, foram abordadas principalmente as técnicas de linguagem cinematográfica, onde os participantes puderam aprender mais sobre planos, ângulos, tomadas e cenas de filmes e no final produziram três curtas-metragens sobre o tema água, todos filmados e editados pelos participantes. Na oficina de rádio, eles tiveram a oportunidade de conhecer e utilizar uma rádio livre, a Rádio Xibé 106,7 em uma comunidade de Tefé (Colônia Ventura). Eles fizeram várias entrevistas com as lideranças locais, executaram uma programação de rádio, além de palestras sobre comunicação popular. Na oficina de teatro, os participantes realizaram exercícios de expressão corporal, fizeram apresentações teatrais e assistiram a vários filmes.  

Para Marco Lopes, comunicador do Instituto Mamirauá, o encontro gera união entre os comunitários e possibilita a troca de experiências entre Comunicadores Populares de outras localidades. Além de ser um momento de intercâmbio onde os mesmos vivenciam experiências novas com outras comunidades e até outras unidades de conservação.

"Um dos benefícios do encontro é que ele nos possibilita um contato direto com os Comunicadores Populares. Assim, podemos conversar com eles e saber como estão as atividades nas suas comunidades. Além de ser um momento onde passamos as informações através das oficinas para fortalecer e ampliar as capacidades que eles já possuem", afirmou Marco.

O 5º Encontro de Comunicadores Populares contou com o apoio da Central das Associações de Moradores e Usuários da Reserva Amanã (Camura), Associação de Moradores e Usuários da Reserva Mamirauá (Amurmam), Associação Cinematográfica Fogo Consumidor, Centro de Mídia Independente de Tefé (CMI-Tefé), Laboratório de Comunicação Livre da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio MMA).

Texto: Francisco Rocha.

Últimas Notícias

Comentários

Receba as novidade em seu email: